Hugo Leal e Paulo Lopes, ambos formados no Benfica e que agora vestem a camisola do Trofense, garantem que vão pôr os sentimentos de parte quando defrontarem o líder da Liga portuguesa de futebol, frente ao qual querem pontuar.

 hugoleal   “O mais importante deste jogo é conseguir pontos para garantir o objectivo do clube que é a manutenção. Claro que defrontar o Benfica tem um significado especial, mas isso é para todos os jogadores e não só para mim. Talvez a primeira vez que defrontei o Benfica tenha sido mesmo especial, sobretudo porque estava no FC Porto. Juntava a rivalidade às recordações”, disse Hugo Leal à Agência Lusa.

    Para o médio, as diferenças entre o Benfica (primeiro classificado com 26 pontos) e o Trofense (último classificado com oito pontos) são “muitas”, mas a expectativa do médio é “conseguir um bom resultado” frente ao líder na 13ª jornada.

    “Tenho, e têm todos os jogadores, consciência de que são equipas diferentes uma da outra e com argumentos diferentes, mas espero que domingo seja um bom dia para o Trofense e um mau dia para o Benfica. A necessidade de pontos faz-nos estar mais atentos e mais concentrados”, afirmou o médio.

    Por sua vez, o guarda-redes Paulo Lopes descreveu a recepção aos “encarnados” como “uma partida muito motivadora” e garantiu que “perante velhos clubes, as recordações ficam de lado”.

    “Fui formado no Benfica como jogador e como homem. Tenho óptimas recordações daquele tempo, mas neste momento esqueço-as. Quero ajudar o Trofense que também me acolheu muito bem. Pelo Estrela também defrontei o Benfica e foi igual. É um jogo especial por ser um grande e não por ser o meu antigo clube”, salientou.

 Paulo Lopes   Questionado sobre a forma como a equipa está a encarar este desafio e sobre qual o ambiente que se vive no balneário, dado que o Trofense é, actualmente, o “lanterna vermelha” do campeonato, Paulo Lopes falou em “motivação” e “esperança”.

    “Estamos numa situação, na qual não queríamos estar, mas o grupo está unido e motivado. Este jogo e o facto de jogar em casa acarreta uma boa dose de motivação. O facto de faltar metade do campeonato dá-nos esperança”, concluiu.

    Paulo Lopes foi formado nas escolas do clube da Luz e esteve ligado ao Benfica desde 1993 até 2001. Chegou à Trofa na época 2007/2008, conseguiu a titularidade rapidamente e foi reconhecido pelos adeptos que o elegeram, no sítio do clube na Interne, como “principal responsável” pela subida ao escalão máximo do futebol português. Ao serviço das “águias” esteve emprestado ao Gil Vicente (1999/2000) e ao Barreirense (2000/2001).

    Já Hugo Leal representou o Belenenses na época passada, mas devido a uma lesão contraída em Janeiro, abandonou o clube do Restelo, o que lhe permitiu ingressar, em Outubro, no Trofense. Antes de assinar pelo Belenenses representou as cores do Benfica, FC Porto, Académica, Alverca e Braga, e nos campeonatos internacionais passou pelo Atlético de Madrid (época 1999/2001) e pelo PSG (durante os anos 2001 a 2004).

    O jogo entre o Trofense e o Benfica realiza-se domingo, às 20:30 horas, na Trofa com arbitragem de Jorge Sousa (Porto).