quant
Fique ligado

Edição 649

Hermotor renova frota do INEM

Publicado

em

A Hermotor venceu o concurso público para o fornecimento de 22 Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER) do INEM – Instituto Nacional de Emergência Médica.

Reportagem completa para ler na edição 649 do jornal O Notícias da Trofa.

Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 649

Seguros de equipamentos eletrónicos: DECO alerta para os seus direitos

Publicado

em

Por

Recebemos centenas de reclamações de consumidores com seguros de equipamentos eletrónicos, porque não conseguiram tirar partido deles. Estes seguros, que são habitualmente vendidos aquando da compra de equipamentos eletrónicos deveriam, na verdade, cobrir situações de acidentes (quedas, derrame de líquidos, por ex.), avarias, circunstâncias imprevistas, como roubo, furto, etc. que não estão cobertas pela garantia legal dos bens móveis.
O que muitas vezes se verifica, na prática, é que contêm um número elevado de exclusões nas alegadas coberturas, que acabam por tornar o produto completamente desnecessário, inútil, para o consumidor.
Por outro lado, exigem, quase sempre, que os meios de prova sejam reunidos pelos consumidores, colocando-os numa posição frágil, porquanto estes não têm os necessários conhecimentos técnicos para se defenderem.
As lojas, por via da publicidade ou da ação dos vendedores, acabam por ser muito persuasivas, alegando coberturas totais e sem a informação correta e concreta sobre as reais coberturas e exclusões destes seguros, situação que se terá passado com a nossa consumidora.
Esta situação pode configurar uma prática comercial enganosa e, por conseguinte, desleal e, como tal, pode vir a determinar a anulação do contrato.
Para mais informações ou pedidos de apoio, pode contactar a DECO Norte presencialmente na Rua da Torrinha, 228H, 5º, 4050-610 Porto ou, através do endereço deco.norte@deco.pt.

Continuar a ler...

Edição 649

Crónica: Quantos pobres faz um multimilionário

Publicado

em

Por

No ano passado, cerca de 1% da população mundial era dono de mais de 50% da riqueza total global, embora os multimilionários, com património avaliado em mais de 50 milhões de dólares, representavam apenas 0,001% da população, cerca de 128 mil pessoas em todo o mundo.
Com um património avaliado em mais de 1.000 milhões de dólares estavam 92 pessoas, que todos juntos tinham mais dinheiro que a metade mais pobre da humanidade, cerca de 3,5 mil milhões de pessoas, que tinham um património inferior a pouco mais de 3.000 dólares per capita e possuíam apenas 2,7 da riqueza global.
Só no último semestre deste ano, a riqueza global cresceu mais de 6% face ao período homólogo do ano anterior, gerando um aumento significativo de milionários, que ascenderam para o número astronómico de 36 milhões em todo o mundo, com patrimónios avaliados entre 1 milhão e 50 milhões de dólares, controlando 46% da riqueza total global e representando apenas 0,7% da população mundial adulta.
Em Portugal existem mais de 50 mil milionários, com um património avaliado em mais de um milhão de dólares (mais de 940 mil euros), correspondendo a 0,6% da população adulta portuguesa, sendo que 209 pessoas possuem uma fortuna avaliada em mais de 50 milhões de dólares (cerca de 47 milhões de euros), três das quais acima dos 1.000 milhões de dólares (mais de 942 milhões de euros).
Mais de 84% da população adulta portuguesa tem um património inferior a 100 mil dólares (cerca de 94 mil euros), sendo que a maioria dos portugueses (cerca de 58%, que corresponde a perto de 5 milhões de portugueses) tem um património entre os 10 mil dólares (cerca de 9,4 mil euros) e os 100 mil dólares (cerca de 94 mil euros). É à volta de 15% da população adulta portuguesa (cerca de 1,3 milhões de portugueses) que possui um património entre os 100 mil dólares (cerca de 94,2 mil euros) e à volta de 28%, cerca de 2,5 milhões de portugueses possui uma riqueza abaixo dos 100 mil dólares (cerca de 9,4 mil euros) e o milhão de dólares (cerca de 942 mil euros).
Pode-se afirmar que um multimilionário representa perto de 40 milhões de pobres. Existem países, como a Colômbia, Geórgia e Suazilândia, onde a fortuna de uma só pessoa (de um único multimilionário) podia servir para levantar toda a população do seu país acima do limiar da pobreza durante 15 anos.
O fosso da desigualdade entre muito ricos e muito pobres continua a aumentar, sem soluções à vista, com pouca ou nenhuma ação, para eliminar ou atenuar o problema, que tem tendência para agravar. Este fosso da desigualdade atingiu um nível tal que apenas 8 multimilionários possuem a mesma riqueza da metade mais pobre de toda a população do planeta.

moreira.da.silva@sapo.pt
www.moreiradasilva.pt

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também