comboio 

A greve da CP causou transtornos a milhares de utentes dos comboios, um pouco por todo o país. O JN acompanhou o início da manhã, atrasado e apinhado, particularmente nos grandes centros urbanos.

Na Linha de Sintra, havia mais gente que o habitual na estação de Barcarena-Massamá. A reportagem do JN no local constatou grande confusão entre as 7 e as 10 da manhã, altura a que a situação começou normalizar.

No período de maior procura, na hora de ponta, havia menos comboios, todos muito cheios e muita gente nas estações. Muitas pessoas ficaram apeadas, pois não conseguiam, sequer, entrar nas carruagens.

Em Guimarães, a greve da CP também se fez sentir já que várias ligações ferroviárias para a estação de S. Bento, Porto, foram canceladas e os passageiros foram encaminhadas para autocarros que os transportaram posteriormente por via rodoviária até à Invicta.

Às primeiras horas da manhã, e segundo constatou a reportagem do JN, várias dezenas de pessoas fizeram essa viagem por estrada fazendo paragens nas estações de Santo Tirso, Lousada e Trofa, entre outras.

“Já sabia que hoje havia greve e por isso vim mais cedo”, relatou Elisabete Alves, uma utente diária dos suburbanos que por norma sai de Guimarães às 9.54 horas, mas que hoje teve de estar na estação mais de uma hora antes do horário habitual. “Causou-me algum transtorno, mas preferi vir mais cedo para não correr o risco de chegar tarde ao emprego. Mesmo assim não sei se vai dar para chegar”, concluiu, antes de seguir viagem de autocarro até S. Bento.

Na Trofa, houve quem esperasse mais de meia hora por um comboio, dado que, ao início da manhã, alguns serviços ficaram por cumprir. A greve dos trabalhadores da CP deixou a estação mais preenchida do que o habitual, mas não houve registos de confusões – aparentemente, as notícias da paralisação terão preparado os passageiros para uma espera mais longa do que a normal.

A partir doas oito horas, a circulação de comboios começou a estabilizar e, entre as 8.32 e as 8.45 horas, houve duas composições que partiram em direcção ao Porto.

A greve da CP está, igualmente, a provocar algumas alterações na linha do Minho. No entanto, os utentes não têm tido razões de queixa, porque a CP está garantir ligações de autocarro nos percursos referentes a serviços afectados pela paralisação. Excepção feita no Alfa Pendular das 6 da manhã, para o qual não houve qualquer alternativa à ausência de ligação a Lisboa.

Para o início da tarde, prevê-se mais problemas na circulação ferroviária na linha do Minho. As ligações suburbanas e regionais das 13.22h, 13.30h, todas elas com ligação a Porto S. Bento serão suprimidas.

Muito utentes terão optado por utilizar meios de transporte próprios. Amanha, quarta-feira, os problemas de mobilidade na cidade irão manter-se, já que os transportes urbanos de Braga cumprem um dia de greve.

Fonte: Jornal de Notícias