armindo_costa_com_bombeirosO Verão de 2008 fica na história da Protecção Civil de Famalicão como aquele em que se registou a menor área ardida nas florestas do concelho, desde que o Município organiza uma campanha de prevenção dos fogos florestais, há precisamente 10 anos. Entre 1 Junho e 15 de Outubro deste ano, no maior período de sempre em que esteve em vigor a campanha municipal de prevenção dos fogos florestais, arderam apenas 10,5 hectares, contra 53 hectares ardidos em 2007.

“Em relação a 2007, foi uma diminuição de 80 por cento de área ardida em Famalicão. Na prevenção das nossas florestas, podemos considerar que os resultados da operação Verão 2008 são espectaculares”, afirmou o presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa, durante um encontro ao jantar com todo o pessoal do serviço municipal de Protecção Civil, que inclui três corporações de bombeiros do concelho (voluntários de Famalicão, Famalicenses e de Riba de Ave), que decorreu terça-feira, em Joane. O autarca lembrou que as condições climatéricas acabaram por ser favoráveis, mas não deixou de considerar que a diminuição da área ardida no concelho também “resulta da nossa aposta na prevenção e sensibilização da população contra os incêndios”.
No que diz respeito ao número de ocorrências, foram registados 57 incêndios florestais, ou seja, menos 29 que no mesmo período de 2007, ano em que se registaram 86 ocorrências. “São números muito positivos, que, com a ajuda das condições climatéricas, resultam de uma campanha elaborada com antecedência e que assenta em três pilares essenciais: a prevenção através da sensibilização e limpeza de caminhos e matas, a fiscalização e detecção de queimadas e a vigilância e o combate aos incêndios”, destacou Armindo Costa.
Com efeito, foram várias as acções de prevenção promovidas pelo Município. Através do Gabinete Técnico Florestal, em colaboração com a Associação de Silvicultores do Vale do Ave, foram realizadas várias sessões de sensibilização nas Juntas de Freguesia, que contaram com a presença de muitos participantes. Foram ainda beneficiados cerca de 35 quilómetros de caminhos florestais, e limpos cerca de 1000 hectares de área florestal. No que respeita à vigilância florestal, a acção coordenada pelo Serviço Municipal de Protecção Civil envolveu 12 vigilantes móveis e 66 vigilantes fixos.
A vigilância fixa foi levada a cabo por jovens escuteiros e por jovens voluntários inscritos pelo Instituto Português da Juventude nas três torres de vigia florestais, localizadas no Monte de Santa Catarina (Calendário), no Monte de Santa Cristina (Requião) e no Monte do Xisto (Jesufrei).
“Em nome do Município, agradeço a todos aqueles que trabalharam ao serviço da Protecção Civil de Famalicão. O seu trabalho foi decisivo para os bons resultados que tivemos na defesa da nossa floresta e do nosso ambiente”, afirmou Armindo Costa.