As festas em honra de Nossa Senhora das Dores vão realizar-se, mas com muito menos brilho do que é tradição, devido à pandemia de Covid-19, que impedirá a realização da grande procissão dos andores e do programa lúdico. Conheça as celebrações religiosas que serão realizadas para assinalar a efeméride deste ano.

A comissão de festas, este ano a cargo das aldeias de S. Martinho, Coroa, Real e Carqueijoso, providenciou um espetáculo de fogo de artifício para a noite de sábado para domingo.

Os foguetes serão lançados de dois locais distintos da cidade, na antiga ponte do comboio junto ao Parque Nossa Senhora das Dores e no parque de estacionamento da EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques.
A intenção de dividir o espetáculo por dois locais é fazer com que não haja aglomerados populacionais.

O ano 2020 deu-nos a conhecer uma realidade diferente daquela a que estávamos habituados. Mais confinamento, menos convívio, máscaras em saídas à rua, lotação reduzida ao mínimo no interior de estabelecimentos e igrejas, atividades canceladas. Na Trofa, a última grande iniciativa realizada sem limitações está já a cinco meses de distância – a Feira Anual da Trofa – e para trás já ficaram a não realização de eventos como a ExpoTrofa e o Belive.

A ausência de uma solução para a pandemia que atingiu o País e o Mundo neste arranque para a terceira década do século XXI continua a causar grandes restrições ao normal funcionamento das comunidades, que na Trofa vão voltar a ser sentidas naquela que é a maior festa da cidade: as celebrações em honra de Nossa Senhora das Dores.

A majestosa procissão dos andores, pela multidão que arrasta todos os anos, está fora de questão, assim como todo o programa profano, no qual se incluem os concertos musicais.

Até 15 de agosto, às 21 horas, cumpre-se o setenário em honra de Nossa Senhora das Dores, com missa campal na concha acústica. A paróquia informa que “estas celebrações terão a presença de vários sacerdotes, que farão a sua reflexão sobre cada uma das dores de Nossa Senhora”.

A 16 de agosto, dia em que se realizaria a grande procissão, é celebrada a eucaristia em honra de Nossa Senhora das Dores, também ao ar livre, às 11 horas. Está previsto que a missa conte com a presença do bispo do Porto, D. Manuel Linda. No fim da eucaristia, será feita a transladação da imagem de Nossa Senhora das Dores para a Capela.

No dia seguinte, pelas 8h30, realiza-se a eucaristia pelos benfeitores das festas de Nossa Senhora das Dores, e, a 18 de agosto, à mesma hora, é assinalado o encerramento das celebrações.

A comissão de festas apela à população que apoie através de donativos para pagar as despesas, que poderão ser entregues durante os dias da festa na Capela de Nossa Senhora das Dores.