A Muro d’Abrigo é a associação de solidariedade social que vai beneficiar dos fundos a angariar da Festa Medieval Solidaria agendada para o próximo dia 15 de setembro. A Quinta dos Carriços, em Valdeirigo, transforma-se, no dia 15 de setembro, num reino medieval, onde os “súbditos” têm a missão de ajudar as instituições trofenses que vão marcar presença na feira medieval.

A ideia partiu de Filipe Gomes, da família Carriços, que decidiu contactar Ricardo Santos, administrador do blogue Sou Trofense, e convidá-lo para a organização, uma vez que “já tinha alguma experiência na organização de eventos solidários”. Por ser uma ideia “muito interessante” e também para “quebrar um pouco a rotina dos jogos de futebol”, Ricardo Santos decidiu aceitar e foi assim que tudo começou a ganhar forma. Ao longo da organização, o blogue tem contado com o apoio de um grupo de amigos, que se tem vindo a juntar. Uma ajuda bem-vinda, visto que há “muito trabalho” pela frente. 

Depois da estrutura da organização estar completa, chegou a altura de selecionar uma instituição trofense, a quem seriam entregues os lucros do evento. Como no centro da cidade existem “muitas instituições”, a organização decidiu “afastar-se um pouco e procurar, fora do centro, instituições que necessitassem”. Foi aí que surgiu a Muro d’Abrigo. Depois de uma visita à instituição, a organização teve uma reunião com a direção, para conhecerem a sua realidade. No final, chegou-se à conclusão que seria “muito interessante ajuda-la”. “Tudo o que organizamos, como a venda dos bilhetes, o lucro das bebidas e da comida será entregue ao Muro de Abrigo, para alguma obra que precisem”, afirmou Ricardo Santos. Conhecendo mais instituições na Trofa a precisar de apoio, a organização decidiu “convidar algumas instituições e associações trofenses, tais como o ASAS, APPACDM e a Misericórdia da Trofa”, que vão estar numa tenda a vender “produtos feitos pelas pessoas das associações”, tais como compotas, chás e artigos de madeira, sendo que cada associação ficará com os lucros das suas vendas. 

A Feira abre portas pelas 16 horas, onde a comunidade pode assistir a um cortejo medieval que dará entrada ao rei D. Afonso Henriques, que já confirmou a sua presença neste evento. “Durante a feira teremos animações medievais, alguns jogos tradicionais, porque não é só chegar comer o porco assado e vir embora. Vamos ter atividades para entreter as pessoas e para que permaneçam na feira para que possam ajudar as instituições que vão estar presentes através da compra de algum artigo”, contou, realçando a participação de um grupo de seniores do Muro de Abrigo que vai dar o seu contributo na animação. A organização está otimista quanto à iniciativa, pois as “pessoas têm mostrado interesse em vir ajudar um pouco” e acharam “interessante a ideia”. “Temos passado a ideia de que não é só chegar, comer, divertir-se e vir embora. Há que ajudar também na causa, pois isto  trata-se de um convívio com uma causa solidária, para ajudar uma instituição. É importante que as pessoas sintam que isto será uma ajuda”, garantiu. 

Cada um dos 450 bilhetes que foram postos à venda por cinco euros, no Quiosque da Tina, no PetShop Moisés e na Muro D’Abrigo “dá direito a uma sande e uma bebida”. Os bilhetes estarão à venda até esgotarem o que se acontecer é “bom sinal”, pois motivará “uma segunda edição da festa medieval ou de outro evento.” No final, Ricardo Santos deixou um apelo à comunidade: “Participem nesta feira e passem uma tarde diferente, com a alegria e o ser solidário, deste povo que é trofense”.

{fcomment}