Biblioteca-Eduardo-Prado-Co

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a Associação Portuguesa de Escritores (APE) vão avançar com a criação do Prémio Nacional de Ensaio Literário Eduardo Prado Coelho, cuja primeira edição deverá realizar-se já em 2010. A proposta para a celebração do protocolo de cooperação entre as duas instituições foi aprovada, por unanimidade, na última reunião do executivo municipal.

O prémio que se destina a galardoar anualmente uma obra de ensaio literário em português, de autor português, publicado em primeira edição, terá o valor pecuniário de 7.500 euros. Para além deste valor, a autarquia custeia as despesas de organização com os encargos dos membros do júri, de promoção e de divulgação através de uma verba de cinco mil euros.

Por seu lado, a APE compromete-se a tomar todas as iniciativas e procedimentos para promover e difundir o prémio, nomear os membros do júri, bem como coordenar todo o processo de escolha do vencedor.

Para o presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa, “a criação deste prémio tem em vista, por um lado, homenagear o intelectual e grande ensaísta, que foi Eduardo Prado Coelho, e, por outro lado, servir de instrumento para a dinamização do estudo da sua obra e do seu pensamento”.

Depois da abertura ao público, em Março de 2008, da biblioteca com o espólio bibliográfico que Eduardo Prado Coelho (1944-2007) doou ao Município de Famalicão, a autarquia famalicense avança agora com a edição do prémio literário. Ao todo, são cerca de 12.500 títulos que preenchem a Biblioteca Eduardo Prado Coelho, instalada no edifício central da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, e que abarcam múltiplas matérias e variados saberes. Literatura, linguística, psicanálise, cinema, fotografia, artes plásticas e arquitectura, são alguns dos temas representados na biblioteca, perante a qual é possível como que reconstituir o percurso biográfico e a evolução dos interesses do escritor.

Falecido a 25 de Agosto de 2007, com 63 anos, Eduardo Prado Coelho Crítico foi literário e polemista, sendo presença assídua no espaço público onde se envolvia de forma activa nos debates culturais e políticos. Autor prolífico deixou uma vasta bibliografia universitária e ensaística.

A decisão de doar a biblioteca pessoal de Eduardo Prado Coelho à Câmara de Famalicão foi tomada pelos familiares do escritor e justificada, em primeiro lugar, pelo desejo de que o espólio se mantivesse junto e fosse tratado documentalmente. Para a sua filha Alexandra Prado Coelho, o pai “aprovaria esta decisão, já que ele acompanhava, com atenção e interesse, a actividade cultural da Câmara de Famalicão”.

APE E MUNICÍPIO DE FAMALICÃO: “UMA COLABORAÇÃO EXEMPLAR”

A Associação Portuguesa de Escritores mantém desde há vários anos uma parceria com o município de Famalicão, tendo em 1991 celebrado um acordo de colaboração e apoio às suas actividades culturais. Foi no âmbito desse acordo que surgiu o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco.

Para Armindo Costa “esta é uma parceria de que muito nos orgulhamos, da qual o Município de Famalicão tem retirado muito proveito e que poderá continuar a trazer mútuos benefícios às duas instituições”. “É uma colaboração exemplar”, acrescentou.