Todas as escolas do 1.º ciclo do concelho de Vila Nova de Famalicão estarão, no início do ano de 2009, equipadas com redes sem fios para acesso à Internet. A medida que foi anunciada pelo presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa, durante a cerimónia de entrega de subsídios às escolas na semana finda, irá permitir a todas as crianças “o acesso gratuito à Internet, potenciando a utilização do computador portátil “Magalhães” e facilitando o contacto com as novas tecnologias”.
armindo_costa_anunciou_rede_wireless_em_todas_as_escolas_do_concelhoA cerimónia, que ficou marcada pela atribuição de subsídios no valor de 177 mil euros a todas as instituições de ensino do concelho, desde os jardins-de-infância às escolas do 1.º, 2.º e 3.º ciclos, secundárias e ainda ao Instituto Nun’Álvres de Santo Tirso e Externato Infante D. Henrique de Braga, que acolhem um elevado número de alunos famalicenses, contou com a presença de todos os presidentes dos conselhos executivos e responsáveis pelos agrupamentos escolares.
“São subsídios que se destinam essencialmente ao apoio das actividades de enriquecimento escolar, à aquisição de material didáctico e aos projectos desenvolvidos pelas escolas”, afirmou Armindo Costa, salientando que a autarquia “apoia também a edição e produção de jornais escolares e a aquisição de livros para as bibliotecas escolares”.
“No total são beneficiados oito agrupamentos de escolas, três secundárias, quatro cooperativas de ensino e os centros sociais de Bairro, Castelões e Ribeirão, que colaboram com o município na oferta das actividades de enriquecimento curricular”, adiantou.
Destacando a “aposta estratégica da Câmara Municipal no incremento de uma Educação para Todos”, o presidente da autarquia apontou ainda outros investimentos como a comparticipação nas refeições e nos transportes escolares; a oferta de manuais a 6500 crianças e a colocação de alarmes em todas as escolas do 1.º ciclo, entre outras medidas assinaladas.
 
FAMALICÃO INVESTE MILHÕES NO FUNCIONAMENTO DAS ESCOLAS
 
O presidente da Câmara Municipal de Famalicão aproveitou ainda a oportunidade para destacar a comparticipação do município no funcionamento das escolas do ensino pré-escolar e do 1.º ciclo.
“Só em 2007, o funcionamento das escolas em Famalicão implicou um investimento de 6,5 milhões de euros, tendo a Câmara Municipal recebido do Ministério da Educação apenas uma comparticipação de 4,5 milhões”, referiu o edil, explicando que “isto significa que o funcionamento da escola pública, que devia ser uma tarefa garantida na totalidade pelo Ministério da Educação, necessita, para sobreviver, do esforço financeiro do município em 50 por cento, aproximadamente”. E acrescentou: “Estamos a falar de despesas com o funcionamento das escolas, nomeadamente no que diz respeito ao serviço de refeições, ao prolongamento de horários, ao apoio pedagógico, à despesa com auxiliares de acção educativa, entre outros”.