A notícia de que Feirense e Leixões não concordaram com a transferência do jogo Trofense-Guimarães para a Póvoa de Varzim caiu que nem uma bomba na Trofa. Consultados pela Liga, os restantes clubes da Liga Vitalis, incluindo Rio Ave e Santa Clara que disputam os primeiros lugares, nada opuseram à proposta suportada em questões financeiras, mas bastaram dois votos contra para a tornar inviável. Com este inesperado retrocesso – que, curiosamente, não se verificou há um ano quando o Estoril pediu para receber o Benfica no Estádio do Algarve -, sai a perder o emblema trofense, que estimava encaixar cerca de 75 mil euros se o jogo se realizasse no Estádio do Varzim, mas também os adeptos do Guimarães, que agora estão circunscritos a apenas 1400 bilhetes de 12,5 euros e a pouco mais de 180, destinados ao público em geral, ao preço único de 15 euros.

Imagem de arquivoComo o Estádio do Clube Desportivo Trofense só tem capacidade para 3300 espectadores, menos de metade da lotação do Estádio do Varzim (7900), o Trofense apenas poderá sonhar com um lucro de 25 mil euros, o que representa menos 50 mil euros face à proposta inicial, que apontava para a realização do jogo na Póvoa, para onde até estavam previstos bilhetes mais acessíveis: a 10 e 12,5 euros. Se assim fosse, pelo menos seis mil adeptos do Guimarães poderiam assistir ao desafio, o que já não acontecerá. "Pretendíamos uma receita extraordinária e não foram solidários connosco. Até se esqueceram que temos mais vitórias fora (cinco) do que em nossa casa (três)", desabafou Rui Silva, o presidente do clube, lembrando que doravante terá de haver "coerência" em situações análogas. "É um tema que terá de ser bem definido numa Assembleia Geral da Liga. Assim não estão a defender os clubes pequenos", argumentou.

Manifestando-se "triste" com a Liga e especialmente "chateado" com Leixões e Feirense, o dirigente deixou ainda a promessa de que a equipa vai mostrar em campo todo o seu profissionalismo. "Podemos não ser ricos, mas sempre fomos honestos", testemunhou. Considerado de alto risco, o jogo com o Guimarães merecerá, entretanto, um acompanhamento especial da parte da GNR, no interior e imediações do recinto.

PEDRO ROCHA / Jornal O Jogo