Na última prova de meio-fundo do campeonato concelhio de columbofilia, a equipa VTS Padrão sagrou-se campeã, mesmo sem vencer a prova realizada em Oriola, no Alentejo, no domingo, a 340 quilómetros da Trofa e patrocinada pela Hidroave.
O 1.º classificado beneficiou da vantagem pontual obtida ao longo da competição, demarcando-se da equipa Araújo & Filhos, 2.ª classificada, e de Asas de Rindo, 3.ª.
A equipa Araújo & Filhos não conseguiu chegar à liderança, mesmo sendo proprietária dos dois pombos mais rápidos da largada de Oriola: o primeiro demorou quatro horas e 12 minutos a chegar ao pombal, registando velocidade média de 1351 metros por minutos (81 quilómetros por hora), e o segundo chegou quatro minutos depois.
O 3.º pombo mais rápido foi de Asas de Rindo, com média de quase 80 quilómetros por hora. Por equipas em 2.º ficou Renato Couto que efetuou uma boa marcação com 5.º, 6.º e 7.º pombos da prova, e em 3.º Daniel Moreira com 9.º e 10.º pombos.
Relativamente à classificação de meio-fundo da Sociedade Columbófila Trofense (SCT), Domingos Silva foi o vencedor, superando a dupla Domingos & Miguel (2.º) Carvalho e VTS Padrão (3.º).
Os amadores da SCT acabaram por se destacar na última prova concelhia, onde também participa a Sociedade Columbófila de S. Romão do Coronado. Os melhores pombos e concorrentes da prova coincidiram com os mesmo da SCT, faltando apenas atribuir as últimas classificações finais.
Também a nível concelhio, o campeão de meio-fundo foi José Manuel & Paulo Matos, à frente de Daniel Moreira (2.º) e Araújo & Filhos (3.º).
Na frente da classificação geral não se registaram alterações: VTS Padrão é o 1.º classificado, com 7402 pontos, Araújo & Filhos é 2.º com 7348, Asas de Rindo é 3.º com 7310, José Manuel & Paulo Matos é 4.º com 7304 e Domingos & Miguel Carvalho é 5.º com 7238.
A próxima prova tem relevo a nível nacional e está marcada para o próximo sábado desde Valência-Espanha mesmo junto ao mar mediterrâneo. Cerca de 70 mil pombos de todo o país serão libertados em simultâneo, numa prova que se prevê muito dura, com elevadíssimas temperaturas.

Rui Flor estreia-se a vencer no fundo

Passavam dez minutos das seis horas da madrugada de 6 de junho, quando, a 600 quilómetros da Trofa, em Motilla del Palancar, foram soltos os pombos para mais uma prova de fundo. Devido ao calor previsto para a Península Ibérica, a Associação Columbófila do Distrito do Porto decidiu não fazer a solta em Requena, no Este de Espanha, e reduzir em 70 quilómetros a viagem que os pombos teriam de fazer para Portugal.
Com esta decisão, e com uma velocidade média “muito elevada para uma prova de fundo”, graças ao vento a correr a favor, os primeiros pombos conseguiram chegar ao destino antes do pico do calor. Na Trofa, o primeiro a ser constatado, às 12.39 horas, pertence ao pombal de Rui Flor, registando uma velocidade média de 1500 metros por minuto (92 quilómetros por hora).
Virgílio Azevedo e a dupla José Duarte & Jaime Azevedo foram, respetivamente, os amadores que conseguiram o 2.º e 3.º pombos mais rápidos, também com velocidade média acima dos 90 quilómetros por hora. A prova foi patrocinada pela Agro Ribeirão.
Apesar da destreza dos primeiros pombos, outros tiveram muitas dificuldades a ultrapassar o calor e chegaram ao destino já ao final do dia ou na manhã seguinte.
Ao nível de concorrentes da Sociedade Columbófila da Trofa, Virgílio Azevedo foi o vencedor, por ter o 2.º e o 10.º pombos mais rápidos. Seguiram-se a dupla José Manuel & Paulo Matos, com o 7.º e 8.º pombos, e Araújo & Filhos, com 5.º e 12.º.
No que respeita à classificação das provas de Fundo, José Manuel & Paulo Matos destacam-se na liderança, com 2553 pontos, à frente de Araújo & Filhos, com 2473 pontos, e José Duarte & Jaime Azevedo, com 2455.