De 8 a 10 de junho, a Quinta de S. Romão, na Vila do Coronado, é palco do 4.º Encontro de Autocaravanas, que, este ano, integra “pela primeira vez” uma Feira de Artesanato.
A “novidade” deste Encontro é mesmo a Feira de Artesanato, a decorrer entre as 15 e as 19 horas”, que conta com “mais de dez participantes” inscritos. Pelas 15 horas tem início uma caminhada pela Vila do Coronado, seguida da palestra “A Felicidade – Estar Bem ou ter razão” por Moreira da Silva, pelas 17 horas, no salão nobre do edifício sede da Junta de Freguesia. A noite será de convívio, com cantares ao desafio com Anjinho e Diana, com a “participação especial de Manuel Silva e Andreia Santos”. No dia seguinte, pelas 10 horas, há uma aula de ginástica com Diana Azevedo.
José Ferreira, presidente da Junta de Freguesia do Coronado, referiu que este Encontro surge na sequência da “criação do parque de autocaravanas na Quinta de S. Romão”, com o objetivo de “o dar a conhecer”. As edições anteriores têm “corrido muito bem” e, “de ano para ano, tem aumentado o número de participantes”. Para esta edição, o autarca conta “ultrapassar as 200 autocaravanas, o que irá trazer alguns milhares de pessoas durante este fim de semana”. “O que será, sem dúvida, uma iniciativa muito boa para o nosso comércio local e para dar a conhecer a nossa vila”, completou.
E como nos encontros de autocaravanistas são “maioritariamente portugueses que vêm para conhecer outras terras e lugares”, a Junta de Freguesia destaca a realização de uma caminhada pela Vila do Coronado, que vai passar pelos “locais mais emblemáticos e característicos das freguesias, para que, quem os visita, “saía daqui com uma imagem perfeitamente esclarecida do local onde vieram passar o fim de semana”. “A caminhada pela vila do Coronado é aquilo que mais nos entusiasma e interessa, que é a divulgação da nossa terra, dos nossos costumes, tradições e locais”, salientou.
Apesar de ser um Encontro de Autocaravanas, José Ferreira frisou que esta é “uma iniciativa também aberta à comunidade, que também aparece para a música, convívio e para a gastronomia”, o que “acaba sempre por juntar muita gente e ter uma dinâmica diferente neste fim de semana”.