Na manhã de domingo, 22 de novembro, o jovem Luís Filipe Menéres de Faria Lencastre foi ordenado diácono na igreja dos Grilos, pelo Bispo de Porto, juntamente com outros quatro seminaristas. Este jovem recém-ordenado está, atualmente, a fazer “estágio” na paróquia de São Martinho de Bougado.

Luís Lencastre nasceu em 26 de maio de 1989, na paróquia de Nossa Senhora do Porto, em Ramalde.
Foi admitido no Seminário aos 25 anos, onde estudou e acabou o curso de Mestrado Integrado em Teologia. Defendeu, no passado mês de outubro, a tese “Lugar de Água e Luz”, que é um estudo teológico sobre a Pastoral do Porto.

A palavra diácono provém do grego “diákovos”, significa “servo”, “ajudante”, “ministro” e é aplicado à primeira das chamadas “Ordens Maiores” na hierarquia do Sacramento da “Ordem”.

A origem dos diáconos vem dos primórdios do Cristianismo. Logo a seguir à Ascensão de Cristo e do Pentecostes, os apóstolos começaram a pregar pelas aldeias e vilas e em pouco tempo aumentaram os seguidores da “nova religião”, pelo que houve necessidade de recorrer a fiéis que os ajudassem no serviço dos pobres e de socorro às viúvas e para a proclamação da palavra de Deus. E assim aconteceu: foram escolhidos os primeiros sete diáconos, entre eles Estêvão e Filipe.

Na Igreja Católica (Romana), os diáconos subdividem-se em duas naturezas: uma delas “transitória”, em direção ao sacerdócio, e a outra “permanente”.