quant
Fique ligado

Edição 479

Cruz Vermelha lança livro dedicado à igualdade e liberdade

Publicado

em

“O Pássaro das cores” é o nome do livro que a delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) vai lançar pelas 21.30 horas do dia 3 de julho. A sessão decorre no auditório da Associação Empresarial do Baixo Ave, situado no Edifício Nova Trofa, em Santiago de Bougado.

O conto aborda “as temáticas da igualdade e da liberdade, e de forma simples apela para a reflexão do leitor, com exemplos que levem à mudança na forma de agir para alcançar uma sociedade mais justa e igualitária”.

A venda deste livro, escrito por Bruno Marques e ilustrado por Filipa Viana, permitirá à delegação da Trofa da CVP “dar continuidade a todo o trabalho que realiza desde há 13 anos em prol do bem-estar do próximo”. A aquisição dos exemplares pode ser feita a partir do dia 3 de julho na sede da delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa, que terá um custo de “dez euros”.

A sessão vai contar com a atuação da Escola Passos de Dança.

Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 479

“As prioridades têm de ser sempre dar qualidade de vida aos seus cidadãos”

Publicado

em

Por

 

Na comemoração do 28.º aniversário da Vila de Ribeirão, a Junta de Freguesia vai dinamizar diversas iniciativas. Em entrevista ao NT, o presidente Adelino Oliveira abordou os projetos que tem para a freguesia.

O Notícias da Trofa (NT): Está na presidência da Junta há vários mandatos. Como tem decorrido?

Adelino Oliveira (AO): A minha dedicação à Junta de Freguesia já vem de há vários anos, mas parece que foi há pouco tempo. Como todos sabem, eu colaborei com o anterior presidente durante o seu percurso na Junta de Freguesia.

Respondendo à sua pergunta, digo-lhe que estou à frente dos destinos da autarquia desde maio de 2009. Apesar destes anos passados, nem dei por isso. O trabalho diário, a dedicação e a determinação com que todos os dias me empenho na ajuda aos ribeirenses fazem com que passe os dias e os anos sem dar por isso.

 

NT: Neste momento, que intervenções de relevo estão a decorrer na freguesia?

AO: A Junta de Freguesia tem todos os dias uma interação com os ribeirenses, na ajuda a várias dificuldades com que diariamente todos nos deparamos.

Publicidade

Ao nível das obras posso informar que estamos a intervir em alargamentos e construção de muros, intervenções que são o primeiro passo para que, de seguida, seja melhorada a circulação em algumas vias.

Quero aqui realçar a construção em Ribeirão da rua Continental Mabor que liga a rua do Senhor dos Perdões próxima da N.14 à rua Monte Oito que dá acesso a Lousado.

Esta via, obra da responsabilidade da Câmara, vai servir em especial a Continental Mabor e os seus funcionários, pois será o elo de ligação entre as diversas secções da empresa e também uma das vias principais para que possa haver uma maior rapidez no escoamento da produção dos pneus.

 

NT: Quais são, no seu entender, as principais prioridades para a freguesia?

AO: Para um Presidente de Junta as prioridades têm de ser sempre dar qualidade de vida aos seus cidadãos. Isto tem de ser feito de várias formas, desde logo possibilitar a todos acesso aos serviços, como água, saneamento e vias. A este nível ainda temos várias lacunas, mas estamos empenhados em, o mais depressa possível, resolver estas situações.

 

Publicidade

NT: Ribeirão tem conseguido atrair população e investimento?

AO: Ribeirão tem atraído população e investimento há já vários anos, pela sua localização e pelos espaços de construção que oferece, quer ao nível habitacional quer ao nível industrial e comercial. A situação do País nos últimos anos levou naturalmente a algum abrandamento. E a incerteza quanto à criação de uma alternativa à EN 14 tem desagradado a alguns industriais que mais dificuldades vão sentindo no desenvolvimento das suas atividades.

 

NT: Qual o apoio que a autarquia recebe da Câmara Municipal? E qual espera receber?

AO: Sabemos os desafios que temos pela frente, conhecemos a conjuntura desfavorável, sentimos os cortes no nosso orçamento. Por sua vez as responsabilidades aumentam com as transferências de competências, a lei dos compromissos restringe bastante a nossa ação, mas não abdicamos daquilo a que nos propusemos e seremos sempre persistentes para bem de Ribeirão. Estamos no primeiro ano deste mandato. Temos objetivos e temos confiança no Sr. Presidente da Câmara, Dr. Paulo Cunha, e em todo o seu executivo. O Sr. Presidente sabe as nossas necessidades. Assumiu um compromisso com os ribeirenses e temos a convicção que não nos vai defraudar.

Ribeirão é uma vila em constante dinâmica, temos muitos atrasos estruturais, mas estou perfeitamente convicto que este é um tempo em que vamos fazer das dificuldades forças e levar Ribeirão ao patamar que merece.

 

Publicidade

NT: Ribeirão é uma freguesia com empresas de renome. Como encara essa riqueza empresarial?

AO: As grandes empresas de renome sediadas em Ribeirão dão certamente grande visibilidade a esta nossa vila mas o mais importante é que não só essas como muitas pequenas e médias empresas cá instaladas proporcionam emprego para muita gente e contribuem para as receitas do nosso concelho que ajudam naturalmente o município a investir nesta e noutras freguesias de forma a melhorar significativamente a qualidade de vida não só de Ribeirão mas também de todo o concelho.

 

NT: De que forma a Junta de Ribeirão tem ajudado a população nos tempos de crise?

AO: Em tempos de crise a Junta de Freguesia tem uma preocupação diária.

São diversas as situações de necessidade que nos são colocadas. Sempre as tentamos ajudar na perspetiva de aliviar um pouco as suas preocupações, encaminhando-as para quem possa dar a ajuda necessária, através das instituições da Freguesia ou do Município. Gostaríamos de resolver todas as carências sociais que conhecemos mas tal não é possível e isso deixa-nos tristes. Porem é nossa preocupação fazer sempre o máximo para melhorar as condições de vida dos cidadãos.

 

Publicidade

NT: Quais os projetos que gostaria de ver na sua freguesia a curto, médio e longo prazo?

AO: Nós apresentámo-nos aos ribeirenses com projetos ao nível das acessibilidades bem definidos para a concretização de melhoria de vias que criem as condições atrativas para viver e investir em Ribeirão. Entre estas está a requalificação da Av. Rio Veirão e zona ribeirinha envolvente, a rua do Xisto, desde o túnel ao parque desportivo de Beleco, a rua Dr. José Leite dos Santos e rua Camilo Castelo Branco, muitas outras municipais a precisar de intervenção poderia aqui mencionar.

Precisamos a curto prazo de dotar o cemitério de mais capacidade, pois começamos a ficar com pouco espaço.

Tenho também de mencionar um sonho de alguns anos, que é a construção de um auditório para a realização de eventos de carácter cultural que as nossas associações e instituições reclamam há muito e que aguarda por melhores dias.

Ligado a este projecto poderá estar em equação a reformulação da atual Sede de Junta. Nós queremos uma Sede de Junta todos os dias ao serviço dos cidadãos, que preste aos munícipes todo o apoio possível. É desta forma que entendemos que deve ser a relação da autarquia com os cidadãos. É a pensar nesta aproximação dos serviços aos cidadãos que temos necessidade de uma Sede de Junta requalificada..

Projetos temos muitos, vontade de os concretizar não falta. Seremos persistentes na reivindicação dos mesmos. Para tudo isto precisamos de estar todos a remar no mesmo sentido, Junta de Freguesia, ribeirenses com capacidade de reivindicação e todos os que usam os órgãos de comunicação existentes ou, como muitos ribeirenses, que no dia a dia procuram o Presidente da Junta para dar o seu contributo. Como disse precisamos de todos para lutar pelo progresso de Ribeirão.

 

Publicidade

NT: Que mensagem gostava de deixar às pessoas de Ribeirão?

AO: Os ribeirenses já me conhecem. Quero dizer a todos que estou sempre disponível para vos ajudar. Todos os dias na Junta ou em qualquer lugar no que estiver ao meu alcance podem contar comigo. Os vossos problemas são as minhas preocupações e todos juntos será mais fácil ultrapassá-los.

Estamos a comemorar o 28º aniversário da vila de Ribeirão. Aproveito esta oportunidade para convidar os ribeirenses e outros das freguesias vizinhas que se possam associar e participar nas nossas comemorações. Temos um programa variado e repleto de muita qualidade e animação.

Muito do que de bom se faz em Ribeirão, vamos poder desfrutar, por isso apelo a toda a população que compareça e sinta orgulho nesta linda terra que é de todos nós.

 

Continuar a ler...

Edição 479

“Muitas são as necessidades de intervenção” de Alvarelhos e Guidões

Publicado

em

Por

 

Em entrevista ao NT, o presidente da Junta de Freguesia de Alvarelhos e Guidões, Adelino Maia, fez o balanço dos primeiros meses de mandato, apontando como principal prioridade as pessoas.

 

O Notícias da Trofa (NT): Qual o balanço que faz dos primeiros meses de mandato?

Adelino Maia (AM): A Junta de Freguesia a que tenho a honra de presidir, considera que o trabalho desenvolvido nestes primeiros meses de mandato foi de encontro às necessidades urgentes da população.

Iniciar um mandato com uma nova freguesia que teve a sua origem em duas freguesias autónomas, obrigou a uma atuação, por parte deste Executivo, eficaz e eficiente, na medida em que foi necessário, por vezes, executar ações no imediato, de forma a solucionar os problemas das pessoas naquele momento.

Saliento aqui as intempéries surgidas logo no início do mandato, que derrubaram e destruíram muros de vedação e algumas artérias, o que obrigou a uma atuação rápida deste Executivo.

A satisfação dos nossos fregueses é o nosso principal objetivo, e trabalhando com todos de igual forma estamos conscientes do sucesso do nosso trabalho.

Publicidade

Por tudo isto, considero que todo o trabalho desenvolvido pela Junta de Freguesia, nos primeiros meses de mandato, é francamente positivo.

 

NT: Quais os projetos que tem para a freguesia?

AM: A União das Freguesias de Alvarelhos e Guidões passou apenas por uma obrigatoriedade legal que uniu aquelas duas freguesias em termos de território administrativo. No entanto, entende este Executivo, que esta União não pode ficar-se apenas por uma questão de administração do território, a União tem que acontecer no seu todo.

O Executivo desta Junta de Freguesia não poderá concretizar os objetivos definidos para este mandato, sem o envolvimento da população e sem que a mesma se encontre motivada e integrada enquanto freguesia única. Este é o principal objetivo do Executivo que lidero, fazer sentir à população, o todo da freguesia e não apenas a parte.

Claro que ao nível de investimento material, temos alguns projetos que pretendemos concretizar, no entanto, o nosso objetivo principal são as pessoas, e é por elas que vamos dedicar a nossa atuação durante estes quatro anos de mandato.

 

Publicidade

NT: Com a união de duas freguesias, quais as principais dificuldades que tem encontrado?

AM: A população de Alvarelhos e Guidões é caraterizada por um povo íntegro, humilde, mas muito bairrista, que defende e promove a sua terra afincadamente.

No entanto, antes da concretização desta União, a população já se encontrava intimamente unida, quer por laços familiares, como por laços de amizade, até por laços profissionais, um bom exemplo é o envolvimento de toda a população desta União, nas festas em honra de S. João Baptista, e é neste espírito de fraternidade e partilha que este Executivo pretende trabalhar.

Pelo efeito e no abono da verdade, não tem este Executivo encontrado dificuldades com a União das freguesias, mas sim, isso sim, apenas preocupações para com as suas gentes e a sua terra.

 

NT: E que pequenas obras e intervenções pretende fazer?

AM: As necessidades da freguesia são bastantes e a expectativa das pessoas elevada, pelo que pretende este Executivo proceder às seguintes intervenções: retificações e pequenos alargamentos necessários há melhor circulação de trânsito; repavimentação de pisos que se encontram em mau estado; manutenção e conservação de edifícios escolares; restauro de fontanários; requalificação de rotundas; colocação de sinalização vertical; colocação de sinalização direcional.

Publicidade

 

NT: O que tem previsto fazer nas áreas da Ação Social, Cultura/Desporto e Educação?

AM: As áreas de ação social, cultura, desporto e educação encontram-se muito próximas entre si, pelo que, por exemplo, não se pode falar de educação sem ação social, e todas elas merecem um especial carinho no trato.

Como é sabido, todas estas áreas são de competência da Câmara Municipal, não obstante, pretende a Junta de Freguesia continuar a apoiar as atividades nesses âmbitos.

É de salientar o empenho e a vontade na concretização dos objetivos propostos pela Comissão Social de Freguesia e pelas Comissões de S. Vicente de Paulo, por isso o forte apoio desta Junta a estas entidades.

E por que entendemos que sozinhos não conseguiríamos alcançar os nossos objetivos, apoiamos as associações de pais, os grupos desportivos, os escuteiros, os grupos de jovens, todas estas associações que promovem o que de melhor se pode oferecer em termos desportivos, educacionais e culturais.

 

Publicidade

NT: Um pouco pelas freguesias é visível o mau estado de várias ruas, assim como a preocupação do executivo da Junta em resolver esta situação. Definiu algum plano de intervenção? Quais as zonas prioritárias a intervencionar?

AM: Falar num plano de intervenção não é razoável, até porque muitas são as necessidades de intervenção e não poderá a Junta de Freguesia executá-las de forma autónoma e sem a presença da Câmara Municipal. Aliás, note-se que o mau estado da rede viária teve a sua origem na execução das obras da rede de saneamento e abastecimento de água.

Temos consciência que existem zonas mais problemáticas que outras, no entanto a sua requalificação terá que ser debatida com a Câmara Municipal.

Por outro lado, consideramos urgente a recuperação de algumas artérias, como a Rua das Devesas, corte da Rua da Aldeia Nova, corte da Rua 25 de abril e sobretudo a requalificação do eixo que atravessa toda a freguesia, começando junto ao ribeiro de Guidões e terminando na fronteira com a freguesia do Muro.

 

NT: Qual o valor do protocolo de Delegação de Competências com a Câmara Municipal da Trofa? Em que vai ser utilizada essa verba?

AM: O protocolo de delegação de competências é um documento subscrito entre a Freguesia de Alvarelhos e Guidões e a Câmara Municipal da Trofa, naturalmente validado pelas respetivas Assembleias de Freguesia e Municipal.

Publicidade

Ora, através deste documento, a Câmara Municipal da Trofa, delega na Junta de Freguesia algumas das suas competências e atribuições, nas diversas áreas, como a educação, a rede viária, entre outras, sendo que as verbas envolvidas no protocolo destinam-se à execução de tarefas de conservação e manutenção das estradas, dos edifícios escolares e outras atribuições cujas competências sejam delegadas.

 

NT: Que apoios vão prestar às associações de Alvarelhos e Guidões?

AM: As associações desta freguesia eram já apoiadas pelos anteriores Executivos, entendendo esta Junta de Freguesia, manter esses apoios de forma a comparticipar no trabalho desenvolvido por elas. Certo é que não poderá a Junta de Freguesia substituir-se às associações e ser o verdadeiro financiador de todas as suas ações, mas o apoio será inequívoco.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);