estacaotrofa.jpg

 

 

 

 

Os comboios continuam a passar na Trofa mas os serviços prestados pela CP na Estação poderão ser reduzidos.

Preocupado com esta situação está Jaime Toga, deputado da CDU na Assembleia Municipal que questionou a autarquia sobre a alegada supressão de serviços por parte da CP.

A Trofa está definitivamente a “ver passar os comboios”. Pelo menos é esta a convicção dos trofenses que assistem diariamente supressão quer de `paragem de comboios quer de serviços da CP nas estações e apeadeiros do concelho.

Primeiro foi o encerramento da Estação da Trofa e da sua bilheteira, depois foi o comboio que faz a ligação Porto/Vigo, que deixou de efectuar paragem na cidade da Trofa…

A alegada diminuição dos serviços prestados pelo posto de venda da Estação da Trofa preocupa o eleito da CDU na Assembleia Municipal. Jaime Toga diz-se apreensivo com a crescente diminuição dos “serviços prestados pela CP à população do concelho” assegurando que “ é um facto, que se vem agravando há mais de cinco anos”.

Num requerimento, entregue ao presidente da Assembleia Municipal, Toga critica aquilo que diz ser uma “política de desmantelamento dos serviços públicos que os Governos do PS, PSD e CDS têm levado ao encerramento das bilheteiras e sanitários da Estação de S. Romão e Portela e tornaram o apeadeiro Senhora das Dores o pior de todos os da CP no plano nacional”.

O deputado Municipal vai mais longe e aponta o dedo à Câmara Municipal pois “os impasses e os atrasos na concretização do traçado alternativo ao actual na cidade da Trofa e a cedência da Câmara Municipal da Trofa à electrificação provisória sem que as obras estivessem em curso têm permitido que a CP e a REFER continuem a prejudicar a população do nosso concelho e a diminuir os serviços prestados”.

Jaime Toga, dá conta no seu requerimento que “ há uma séria preocupação dos trabalhadores e dos utentes da estação da Trofa fruto dos receios da diminuição dos serviços prestados no posto de venda de bilhetes daquela Estação”.

Perante esta situação Jaime Toga quer saber se o presidente da autarquia, o social democrata Bernardino Vasconcelos tem conhecimento das preocupações dos trabalhadores e utentes da estação da Trofa quanto à possibilidade de diminuição dos serviços prestados nas bilheteiras da estação da Trofa questionando ainda “qual a posição que tem assumido a câmara junto do Governo, da CP e da REFER para garantir quer a reposição dos serviços encerrados nas estações e apeadeiros do concelho, quer o encerramento das estações e apeadeiros”.

Relativamente ao arranque das obras do traçado alternativo, Toga quer saber quando vão as obras ter inicio.

Contactado pelo NT, através do gabinete de imprensa o presidente da Câmara Municipal da Trofa não prestou qualquer declaração sobre o assunto.