quant
Fique ligado

Trofa

Covid-19: Portugal com 21 mortes nas últimas 24 horas, o valor mais elevado desde março

Publicado

em

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 2.535 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e 21 mortes atribuídas à covid-19, registando-se uma ligeira redução dos internamentos, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Não se registavam tantos óbitos por covid-19 em Portugal desde 18 de março desde ano, dia em que também se verificaram 21 mortes.

Segundo o boletim diário da DGS, estão internadas 902 pessoas com covid-19 (menos 14 do que na quinta-feira), das quais 129 em unidades de cuidados intensivos, onde deu entrada mais uma pessoa nas últimas 24 horas. 

A maior parte dos novos casos foi diagnosticada na região Norte (841), seguindo-se Lisboa e a Vale do Tejo (820 casos) e zona Centro (528).

Das 21 mortes, cinco ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, cinco no Centro, quatro no Algarve, três no Norte, uma no Alentejo e três na Madeira.

Continuar a ler...
Publicidade

Trofa

Vem aí muito calor

“Vamos ter em setembro um tempo, em regra, mais quente do que nos setembros anteriores. Entre 50% a 60%  mais quente e entre 40% a 50% mais seco”, disse José Luís Carneiro, reiterando que “isto diz tudo dos riscos acrescidos que vamos ter de enfrentar” até ao final do verão.

Publicado

em

Em declarações à imprensa, após uma visita ao Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o ministro da Administração Interna avisou que “vamos entrar numa terceira vaga de calor a partir de dia 20, que se vai prolongar por setembro”.

“Vamos ter em setembro um tempo, em regra, mais quente do que nos setembros anteriores. Entre 50% a 60% mais quente e entre 40% a 50% mais seco”, disse José Luís Carneiro, reiterando que “isto diz tudo dos riscos acrescidos que vamos ter de enfrentar” até ao final do verão.

Estas condições meteorológicas “exigem de nós um esforço acrescido”, pelo que o ministro apelou à “todo o esforço da comunidade nacional, em cooperação, que é indispensável”.

Não se pode, todavia, considerar que esta nova onda de calor mais grave do que as anteriores. “A onda de calor mais critica terá sido a de julho”, disse José Luís Carneiro.

“O pior pico desta onda deve corresponder aos momentos mais críticos da segunda onda de calor” deste ano, acrescentou.

O calor vai apertar a partir de quinta-feira

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), as temperaturas vão aumentar significativamente a partir de quinta-feira, sendo que em algumas zonas do país as máximas terão oscilações drásticas.

Em Lisboa e Setúbal, as temperaturas passam dos 25 e 28 graus esta quarta-feira para 37 e 38 graus na sexta-feira, respetivamente.

Publicidade

Em Beja e Évora, as temperaturas aumentam progressivamente a partir de quinta-feira, com os termómetros a oscilar entre os 37 e os 39 graus no sábado e domingo. As temperaturas vão manter-se elevadas no arranque da próxima semana.

Em Braga e em Bragança, as máximas vão rondar os 33/34 graus no fim de semana e aumentam para 35/37 graus no início da próxima semana.

Castelo Branco, os termómetros vão chegar aos 38 graus no fim de semana, uma situação que se vai prolongar pelo menos até terça-feira, 23 de agosto.

Coimbra passa para máximas a oscilar entre os 31 e os 35 graus até terça da próxima semana.

Em Portalegre, conte com 36 graus no fim de semana e 37/38 graus daqui a sete dias.

Em Faro, Guarda, Viseu e Leiria, com oscilações menos drásticas ao longo dos próximos dias, as máximas vão variar neste período entre os 30 e os 34 graus.

Em Viana do Castelo as máximas vão manter-se sempre abaixo dos 30 graus Celsius. O mesmo acontece no Funchal e em Ponta Delgada.

Publicidade

Lusa

Continuar a ler...

Desporto

Trofense perdeu na deslocação ao Leixões

Publicado

em

Por

O Leixões foi quase sempre melhor do que o Trofense e fez o necessário para marcar até mais do que um golo durante a primeira parte, mas esteve mal na finalização.

O Trofense, que ficou reduzido a 10 jogadores aos 34 minutos, devido à expulsão do seu ‘capitão’, Vasco Rocha, sentiu problemas sempre que o opositor atacou pelos corredores e também deu pouco trabalho à defesa e ao guarda-redes contrário.

Kiki foi o grande motor do ataque leixonense até ao intervalo e logo aos dois minutos cruzou para João Oliveira, que, porém, chegou atrasado e atirou para fora.

A baliza do Trofense voltou a estar em perigo depois de outro cruzamento, este de João Amorim e do flanco direito, aos 10 minutos e com este lance terminou o ascendente inicial do Leixões.

Os visitantes conseguiram depois reagir e lançar alguns ataques promissores, mas por pouco tempo, e foi o Leixões que mais uma vez esteve perto de marcar em duas ocasiões consecutivas aos 15 minutos.

Okitokandjo arranjou tempo e espaço na área leixonense para rematar, assustar Beunardeau e ganhar um canto e, daí até o intervalo, só ‘deu’ Leixões, com Kiki em foco com as suas arrancadas pelo corredor esquerdo e cruzamentos para João Oliveira, que se destacou pela sua desinspiração.

O Trofense melhorou na segunda parte e o Leixões perdeu algum do fulgor exibido no primeiro tempo e tudo ficou mais complicado para a equipa de Matosinhos quando Paulo Alves viu o segundo amarelo aos 53 minutos e foi expulso também.

Publicidade

O treinador leixonense fez três substituições aos 70 minutos, substituiu Kiki, já esgotado pelas suas acelerações e grande mobilidade, por Agostinho aos 82 minutos e foi bem sucedido com as mexidas efetuadas, pois o golo teve a assinatura de duas unidades saídas do banco.

Miguel Ângelo iniciou a jogada do golo, Fabinho prosseguiu-a e Agostinho, natural da Guiné-Bissau, concluiu-a com um golpe de cabeça oportuno, materializando assim o grande investimento que o Leixões efetuara em busca do golo.

Texto Lusa

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);