Já lá diz o ditado que depois da tempestade vem a bonança. S. Pedro obrigou a organização do Carnaval do Coronado a adiar o desfile, que estava previsto para a tarde de terça-feira, dia 13, para domingo, dia 18, e a chuva deu lugar ao sol.

As associações de pais das quatro escolas do Coronado, as comissões de festas do Divino Espírito Santo e de S. Bartolomeu e a Junta de Freguesia promoveram um corso carnavalesco cheio de cor e animação. Os mais pequenos fizeram as delícias das centenas de pessoas que se concentraram ao longo do percurso, entre o Largo de Feira Nova e o Seixinho, onde não faltaram também os foliões.
“Houve uma envolvência muito interessante da comunidade e, como primeira iniciativa, penso que estão todos de parabéns, pelo esforço e dedicação e, sobretudo, pelo interesse que existe entre todos para cada vez mais trabalharmos em conjunto”, afirmou o presidente da Junta de Freguesia do Coronado, José Ferreira.
Pedro Ramos, juiz da festa de S. Bartolomeu, considera que “há pormenores a afinar”, como a dimensão do percurso e o tempo “para não ser tão cansativo”, mas, frisou, “correu bem”. “Pensei que, depois de ter passado o dia de Carnaval, ia haver desmobilização, mas não, conseguimos fazer uma coisa bonita”, acrescentou.
Balanço positivo deste primeiro megadesfile de Carnaval na vila faz, também, o presidente da comissão de festas do Divino Espírito Santo, Vasco Coelho, para quem “as pessoas foram fenomenais”. “Juntando mais gente pode ser vantajoso, mas também maiores são os problemas e desafios. Este ano foi assim, espero que para o ano se mantenham as partes em comunicação e a organização possa ser melhorada”, frisou.
Depois da apresentação ao júri, no final do percurso, a EB 1/JI de Feira Nova levou a melhor entre as escolas, a “Charrete” venceu na categoria de grupos e “Amália Rodrigues” destacou-se entre os foliões.