Foi com o concerto de Mi Ku Bô, que, na noite de sábado, dia 11 de maio, se encerrou mais um Encontro Lusófono. Durante a semana, “milhares de pessoas” passaram pela Casa da Cultura.

Tal como no resto do País, também a Casa da Cultura da Trofa parou na noite de sábado, para assistir ao clássico que opunha o Futebol Clube do Porto e o Sport Lisboa e Benfica, que terminou com a vitória dos azuis e brancos, para a alegria da maioria dos presentes.

A festa continuou no palco do Encontro Lusófono de Literatura Infantojuvenil, que encerrou com o concerto de mistura de sons e culturas do grupo Mi ku Bô. Durante cerca de uma hora, o grupo explorou sonoridades afro-brasileiras, contagiando os presentes com a alegria da sua atuação.

Foi assim, que terminou a 9ª edição do Encontro Lusófono e a 13ª Feira do Livro, que, ao longo de uma semana, apostou na literatura infantojuvenil, com o intuito de incutir o gosto pelos livros e pela leitura por parte dos mais novos, reunindo escritores e ilustradores dos países lusófonos, tal como Adelaide Moreira, Agostinho Fernandes, Ana Paula Figueiredo, Carla Sousa Marques, Carlos Cebolo, Carlos J. Campos, Cláudia Semedo, Isabel Santos Moura, Pedro Emanuel Figueiredo e Sofia Pereira. O programa contou ainda, com vários workshops e espetáculos noturnos organizados pelos Agrupamentos de Escolas de Coronado/Covelas e da Trofa.

Para Assis Serra Neves, vereador do pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Trofa, foi “bonito” ver na Casa da Cultura a participação da comunidade escolar, pois é a “pensar nela” que a autarquia continua a apostar neste encontro.

O vereador da Cultura fez um balanço “positivo” desta iniciativa, que é “muito importante” para o concelho. “Foi um sucesso”, acrescentou, agradecendo o “grande empenho e profissionalismo” de todos os colaboradores, que fizeram com que este encontro fosse “um sucesso”.

 

Júlio Magalhães apresentou o seu último livro na Trofa

O nascimento de um grande amor que terá de provar ser mais forte do que o ódio surge numa violenta paisagem desenhada pela guerra civil. Esta é a narrativa do livro “Não nos Roubarão a Esperança”, do jornalista e escritor Júlio Magalhães, que esteve na Trofa, na noite de quarta-feira, 8 de maio, para apresentar o mais recente livro.

Num encontro intimista com o público, o diretor do Porto Canal falou sobre a sua inspiração como escritor, deu a conhecer a sua mais recente obra e, no final, houve ainda tempo para a tradicional sessão de autógrafos.

Júlio Magalhães é autor de vários bestsellers, designadamente “Os Retornados – Um amor nunca se esquece”, já com 15 edições, e “Um Amor em tempos de guerra”, que vai na 10ª edição, duas obras com mais de 75 mil exemplares vendidos.