Filipe Coutinho, comandante em funções da corporação de Bombeiros Voluntários da Trofa, e Daniel Azevedo, adjunto de comando, apresentaram na tarde desta quarta-feira, 12 de março, a demissão à direção da Associação Humanitária. Pelas nove horas do mesmo dia comunicou a decisão aos elementos do corpo de bombeiros presentes no quartel da instituição. Em causa estarão, segundo fonte da corporação, “diferendos entre a direção e a estrutura do comando dos Bombeiros”. Na manha de

Ao NT, a mesma fonte adiantou que o protocolo estabelecido entre a Trofapark e a Associação Humanitária para que os bombeiros pudessem utilizar gratuitamente as instalações da academia municipal Aquaplace é um dos assuntos que coloca de lado da barricada a direção e do outro o comando e o corpo de bombeiros. Para a direção da Associação, que também tem a creche e jardim de infância, todos os funcionários e voluntários da Associação Humanitária, devem ter direito a usufruir de forma gratuita dos serviço do Aquaplace. Mas o comando e grande parte dos bombeiros voluntários que o NT contactou, defendem que “apenas bombeiros no ativo e do quadro de honra devem beneficiar desta isenção de pagamento”, uma reivindicação que já faziam à bastante tempo.

A alteração dos horários de trabalho dos bombeiros será, alegadamente, outra das divergências entre “comando e direção, o que poderá ter levado a que em determinadas alturas estivessem em número insuficiente aos serviços solicitados, o que tem obrigado a recorrer às corporações vizinhas para suprir esta falta de efetivos”, adiantou fonte dos Bombeiros.
A mesma fonte revelou que para o clima de discórdia contribuem “outras divergências”, escusando-se a adiantar mais pormenores.

O NT contactou Filipe Coutinho que adiantou que não vai “prestar declarações a bem da serenidade do corpo de bombeiros”.

Já Pedro Ortiga, presidente da Direção afirmou aguardar com serenidade o desenrolar dos acontecimentos, escusando-se a comentar o caso.

Com a demissão do comando assume essas funções Vítor Pinto, oficial de bombeiro mais antigo na estrutura da corporação, e que coordena atualmente a Polícia Municipal da Trofa, tendo a direção agora 30 dias para nomear novo corpo de comando.

Recorde-se que em 5 de junho de 2013 a direção não renovou a comissão de serviço do comandante João Pedro Goulart por alegadas divergências entre o então comandante e a direção. Foram nessa altura renovadas, pelo período de cinco anos, as comissões de serviço do 2º comandante, Filipe Coutinho, e do adjunto de comando, Daniel Azevedo. Desde então, Filipe Coutinho desempenhava as funções de comandante interino.

À hora do fecho desta edição elementos da direção da Associação Humanitária estava reunida na Câmara Municipal da Trofa mas não foi possível apurar o assunto discutido na reunião. O NT sabe ainda que para as 21 horas estava agendada uma reunião de elementos do corpo de bombeiros, com a presença confirmada de pelo menos 40 efetivos. (Atualizada às 19h30m do dia 12 de março)