Inserido no programa da festa em honra de Nossa Senhora do Desterro, realizou-se uma missa campal do Dia Vicarial da Catequese, na manhã de sexta-feira, 25 de abril.

“A catequese não é uma teoria, mas é a afirmação da ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo”. Esta é a mensagem que o bispo D. Pio Alves transmitiu no final da eucaristia do Dia Vicarial da Catequese, que, este ano, voltou a realizar-se no concelho da Trofa, mas, desta vez, no Souto de Bairros, em Santiago de Bougado, onde juntou centenas de pessoas da Vigararia Trofa/Vila do Conde.

Para o bispo, a catequese tem “como mensagem fundamental a afirmação de que Jesus Cristo vive”, recordando “aos catequistas que quando gastam tempo generosamente com a catequese, estão a transmitir às gerações futuras o núcleo fundamental da nossa fé que é Jesus Cristo não morreu, Jesus Cristo está vivo”.

Segundo D. Pio Alves assinalar o Dia Vicarial da Catequese está a tornar-se num “costuma que, felizmente, se está a consolidar”, sendo “uma excelente oportunidade para que os catequistas se juntem e recebam uma palavra de incentivo”. “A parte da manhã foi ocupada fundamentalmente pela celebração da Eucaristia, que foi muito participada, e, se o tempo o permitir, temos oportunidade de conversar e de dançar, para que as pessoas possam ocupar-se numa distração. Tudo isto faz parte da nossa vida, a componente formativa, o almoço, o jogo e é importante que as pessoas se encontrem nesses vários contextos, principalmente para criar amizade entre todos”, reforçou.

Para o pároco Rui Alves, que preside o Secretariado da Catequese da Diocese do Porto, a celebração deste ano foi “um sucesso”, deixando “um agradecimento muito importante à paróquia e a toda a gente de Santiago de Bougado, que se envolveu” para que existisse um “acolhimento tão bom”. “Teve muita gente e estou convencido que estariam muitas mais se o tempo assim o permitisse. O tempo acabou por até não ter sido assim tão mau, como inicialmente pensavam, agora espero que tenhamos uma boa confraternização, pois esse é o objetivo deste dia”, acrescentou.

Rui Alves acredita que este é “um dia importante para as crianças da catequese, para os pais e acima de tudo para os catequistas”, sendo o Dia Vicarial da Catequese o assinalar da “importância” de “todos os que são parte ativa na catequese” e o “confraternizar em volta do altar, na Eucaristia, e conviver um bocado, que é isso que nos faz bem e acima de tudo nos faz conhecer e crescer não só como homens de relação, mas sobretudo homens de fé”.