Grupo Sons e Cantares do Ave apresentou o último trabalho editado ao público. CD reúne 13 canções populares, que fazem parte do extenso repertório do conjunto musical.

Foi com o lançamento de um CD que o grupo Sons e Cantares do Ave assinalou uma década de existência. Este é o segundo trabalho editado – o primeiro foi em 2008 -, no qual podem ser ouvidas 13 canções. A sessão decorreu na Casa do Futebol Clube do Porto da Trofa, em S. Martinho de Bougado, no sábado, 11 de outubro, e serviu para comemorar dez anos de promoção da música do Douro e Minho de Portugal.
Dado que o conjunto musical tem um repertório de “mais de 50 músicas”, a escolha dos temas foi feita de forma democrática. Segundo Ercília Araújo, uma das três mulheres do grupo, “todos os elementos participaram numa votação para escolher os temas favoritos”.

O CD pode ser adquirido junto de cada um dos músicos.
Por sua vez, a concertista Delfina Oliveira considera que “é um trabalho muito bem conseguido” e “representa” tudo o que os Sons e Cantares do Ave fazem, tanto na recolha de músicas como pelas performances em cima do palco.
A sessão de lançamento do CD contou com muitos amigos e seguidores fiéis do conjunto trofense. A noite também foi abrilhantada pelos elementos da escola da Banda de Música da Trofa. “Já pude constatar que tenho aqui muita gente que nos tem vindo a acompanhar ao longo dos espetáculos que fazemos, não só na Trofa, como noutras zonas do país. Para nós, é gratificante ver essas pessoas aqui, é sinal que gostam da nossa música e nos acarinham de uma forma que nos fazem sentir privilegiados”, sublinhou Ercília Araújo.
Além da boa disposição que transmitem em cada espe-táculo, há um aspeto que não pode deixar de existir, sob pena de o sucesso acabar: a amizade. “Conseguimos ter um ambiente de proximidade muito grande e isso contribui para que o grupo se possa manter por muitos mais anos”, afiançou Delfina Oliveira.
Foi em outubro de 2004 que um grupo de oito pessoas, da Trofa e Vila Nova de Famalicão, decidiu juntar-se para promover a cultura do Douro e Minho através da música. Nascia assim o grupo Sons e Cantares do Ave. O desejo é, pois, que o caminho continue a ser trilhado com sucesso. Ercília di-lo, em plenos pulmões e de coração cheio: “E venham mais dez”.