quant
Fique ligado

Trofa

Cafés nos concelhos de risco elevado e muito elevado com horário alargado ao fim de semana

Publicado

em

Os estabelecimentos similares da restauração, como cafés e pastelarias, situados nos concelhos de risco elevado e muito elevado poderão funcionar ao fim de semana até às 22:30, sem necessidade de os clientes apresentarem certificado digital ou teste negativo à covid-19.

O esclarecimento foi prestado hoje pelo secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, que ressalvou, no entanto, que se esses estabelecimentos servirem refeições terão de seguir as mesmas regras aplicadas aos restaurantes.

“O alargamento dos horários nos concelhos de risco muito elevado é para os estabelecimentos de restauração e similares, que agora podem também funcionar das 15:30 às 22:30. Não é necessário a um cidadão, quando se desloca no final do almoço ou do jantar para tomar um café, mostrar um certificado ou teste negativo”, explicou João Torres.

O governante alertou, contudo, que, “sabendo que em Portugal existem muitos estabelecimentos similares que podem servir refeições, as regras [de acesso com certificado digital e teste negativo] poderão aplicar-se”.

João Torres deslocou-se hoje até Matosinhos, no distrito do Porto, para acompanhar a aplicação da nova legislação nos restaurantes e promover encontros informais com empresários do setor, considerando que as medidas que entraram hoje em vigor “são equilibradas”.

“Permitem-nos continuar a zelar pela saúde pública, porque seremos mais capazes de quebrar as cadeias de transmissão, mas também levantar as restrições horárias desses estabelecimentos nos concelhos de risco muito elevado, onde semanalmente há mais municípios a entrar nessa categoria”, analisou.

O secretário de Estado explicou ainda que as medidas não se aplicam à frequência nas esplanadas, à utilização das instalações sanitárias dos estabelecimentos ou na deslocação ao seu interior para efetuar os pagamentos.

Publicidade

João Torres acrescentou que “nos centros comerciais, e com as necessárias adaptações, as medidas serão aplicadas às ‘praças de alimentação’”.

O governante reconheceu que “nos momentos iniciais haverá necessidade de esclarecer dúvidas e de adaptação”, mas mostrou-se convicto de que as “medidas podem ser muito eficazes para permitirem a vida em sociedade”.

“Estou convencido de que a generalidade dos empresários e dos cidadãos vão continuar a cumprir as regras de saúde pública e segurança. Estamos num momento que inspira cuidados, mas apelamos à responsabilização coletiva. Parto do pressuposto que a generalidade dos cidadãos continuará a cumprir as regras”, afirmou.

O governante destacou a abertura para continuar a falar com os empresários e associações do setor da restauração, que têm levantado dúvidas e críticas sobre as medidas, mas lembrou que para controlar a pandemia é preciso fazer “escolhas difíceis”.

“A alternativa à não aprovação de medidas desta natureza era, porventura, a aplicação de medidas mais restritivas. Reconheço que de início haverá necessidade de adaptação, mas o Governo está sempre próximo dos empresários e pronto a cooperar”, sublinhou o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor.

O presidente da Associação da Restaurantes de Matosinhos, Rui Sousa Dias, que acompanhou a visita do governante, também partilhou a necessidade da adaptação às novas medidas, mas mostrou-se expectante sobre a reação dos consumidores.

“Esperamos que as pessoas estejam disponíveis para se adaptarem. Entre o encerramento ou seguir as novas regras, acredito que com esta fórmula teremos mais oportunidades de fazer negócios. Vamos estar atentos ao resultado e sensibilizar as pessoas, porque também nos interessa funcionar com segurança para os clientes e para as nossas equipas”, disse o empresário.

Publicidade

Rui Sousa Dias admitiu, ainda assim, não acreditar “que os restaurantes sejam o maior foco do problema” do contágio e, mesmo reconhecendo que a aplicação das novas regras “não seja a ideal e vá diminuir o movimento”, antecipou que “se a situação da covid melhorar, mais rápida a recuperação do setor acontecerá”.

Desde hoje às 15:30, os restaurantes em concelhos de risco elevado ou muito elevado (atualmente, 60 dos 278 municípios do continente) passaram a ter de exigir certificado digital ou teste negativo à covid-19 para refeições no interior dos estabelecimentos. 

O certificado digital ou o teste negativo é exigido aos clientes a partir das 19:00 à sexta-feira e aos fins de semana e feriados.

São quatro as tipologias de testes aceites: os PCR e antigénio com resultado laboratorial (contemplados no certificado digital covid-19) e também os autotestes feitos presencialmente (à entrada do estabelecimento) ou perante um profissional de saúde (nas farmácias, por exemplo).

Continuar a ler...

Trofa

Sérgio Humberto foi eleito presidente da distrital do Porto do PSD

Sérgio Humberto, único candidato a presidente da distrital do Porto do PPD/PSD do Porto, a maior a nível nacional, foi eleito com 95% dos votos.

Publicado

em

Por

Sérgio Humberto, único candidato a presidente da distrital do Porto do PPD/PSD do Porto, a maior a nível nacional, foi eleito com 95% dos votos. A restante percentagem foi dividida em 4% em votos em branco e 1% de nulos.

“Acredito que com trabalho, muito trabalho, vamos conseguir devolver a esperança às nossas populações, e, concretizar a revolução laranja que o que o nosso Distrito anseia”, foram estas as primeiras palavras de Sérgio Humberto, aos militantes que encheram por completo o auditório da Distrital Os o encerramento das urnas e continuou:

Aquilo que vos prometo é muito trabalho e dedicação. E garantir-vos que esta será, uma distrital do PPD/PSD do Porto, incómoda para os nossos adversários partidários, porque o nosso foco, estará no serviço às nossas gentes, na concretização dos sonhos das nossas populações, e no servir o Distrito do Porto.

Aumentar o numero de militantes ativos e envolver a sociedade civil na vida do partido está também nos horizontes da nova comissão politica distrital social-democrata. Vencer as eleições autárquicas no distrito e pegar em temas esquecidos, e de elevada relevância tanto para o distrito como a nível nacional, faz parte do seu programa de ação

“O primeiro objetivo é ganhar mais câmaras, mais juntas de freguesia, mais assembleias municipais, Temas como, por exemplo, O Eixo Atlântico, as relações com a Galiza, como é o não exemplo do Infarmed, TAP e assuntos que ainda não foram falados, como por exemplo o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, que precisa de obras, e porque não falar de um novo aeroporto nesta região, serão chamados à discussão por esta comissão politica”.

Sérgio Humberto recordou a Distrital do Porto tem cerca de dois milhões de habitantes e que é um território altamente produtivo e, portanto, muitas vezes não é compensado pelo Estado Central, que só vê Lisboa.

“Vou liderar uma equipa motivada e capacitada, para desenvolver um trabalho de proximidade, estruturando caminhos para um futuro mais próspero e mais liderante no nosso Distrito do Porto., concluiu o novo líder social-democrata.

Publicidade
Continuar a ler...

Trofa

Ângela Moreira recandidata à Estrutura Concelhia das Mulheres Socialistas

Publicado

em

Por

Ângela Moreira apresentou, a 17 de setembro, a recandidatura à Estrutura Concelhia das Mulheres Socialistas – Igualdade e Direitos da Trofa (MS-Trofa).
No auditório da Junta de Freguesia de Bougado, em Santiago, a socialista de 37 anos contou com o apoio de dezenas de militantes, a quem garantiu ter conseguido “afirmar e credibilizar” a estrutura. “Volvidos dois anos, deixamos uma marca de proximidade, lealdade, trabalho e envolvimento profundo com todas as estruturas locais do Partido Socialista e na sociedade civil”, referiu a bougadense.
No mandato liderado por Ângela Moreira, a estrutura concelhia de MS-Trofa realizou várias iniciativas solidárias, como “a confeção e entrega de máscaras, apanha de fruta e recolha de produtos de higiene pessoal para doar a associações do concelho”. “Participamos em atividades de movimentos cívicos, assinalamos o Dia Internacional da Mulher, o Dia da Árvore e da Poesia e o 25 de Abril, data em que homenageamos os militantes do Partido Socialista mais antigos do concelho. Apostamos ainda na formação e na publicação de artigos como forma de empoderamento das mulheres trofenses”, acrescentou.
Para um segundo mandato, Ângela Moreira propõe-se a motivar mais mulheres na vida política e a ajudar o Partido Socialista “a fazer política com respeito, seriedade e responsabilidade”. “Vamos continuar a mostrar que o que nos move é a Trofa, os trofenses e os seus interesses”.
Ângela Moreira afirma ainda que o projeto que tem como slogan “Junt@s Avançamos” visa contribuir para construir “uma sociedade mais justa, igualitária, solidária e baseada nos valores socialistas”.
As eleições decorrem a 8 de outubro em todas as concelhias do distrito do Porto, data em que serão também eleitos os órgãos das secções e concelhias do partido.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);