Foram infrutíferos os esforços dos Bombeiros Voluntários da Trofa para salvar um cão, que caiu num poço, num terreno na Rua do Soeiro, em S. Mamede do Coronado.

Os latidos do cão chamaram a atenção de quem passou perto do local e fez o alerta, cerca das 9.50 horas desta segunda-feira. À chegada ao local, a Equipa de Intervenção Permanente dos Bombeiros da Trofa deparou-se com algumas dificuldades, uma vez que na abertura do poço, que tinha cerca de 15 metros de profundidade, encontravam-se “alguns esteios partidos que estavam a obstruir a entrada e, pela situação pendular em que se encontravam, havia risco de queda, pelo que não havia condições de segurança” para os soldados da paz descerem e realizarem o resgate, explicou o comandante João Pedro Goulart.

Já depois de retirados os esteios, o bombeiro que desceu ao fundo do poço verificou que “havia um canal de comunicação que ligava o poço a um outro a cerca de 30 metros”. “Inicialmente, a informação que nos foi dada não apontava para a comunicação entre poços, o que dificultou a localização do cão”, indicou João Pedro Goulart.

Com a descoberta, os Bombeiros optaram por descer ao segundo poço, que tinha dois metros de altura de água. “Encontramos o cão ainda a lutar pela vida, mas não conseguimos resgatá-lo a tempo”, afirmou.

resgate cao 37

Os Bombeiros procederam, posteriormente, ao escoamento do poço para resgatar o animal.

Apesar dos inúmeros esforços, os soldados da paz não conseguiram salvar o cão que, ao que tudo indica, era vadio, mas que se fosse salvo já teria um futuro diferente, uma vez que um elemento da GNR do posto da Trofa dispôs-se a adotar o animal após o resgate.

No local estiveram 17 elementos dos Bombeiros Voluntários da Trofa, apoiados por três veículos e a Guarda Nacional Republicana da Trofa, que registou a ocorrência. Foi ainda chamado o responsável do canil da Trofa, para recolher o cão.