Ficou reduzida a cinzas e escombros a área de enchimento de uma empresa de colchões localizada em Lantemil, na freguesia de Santiago de Bougado.

A área de enchimento de colchões da Futurocol situada na Rua das Indústrias em Santiago de Bougado, foi consumida pelas chamas ao inicio da noite de quinta-feira. Quando os Bombeiros Voluntários da Trofa (BVT) chegaram ao local depararamse com uma parte da fábrica “totalmente envolvida pelas chamas”.

O alerta foi dado pelas 20.11 horas, tendo sido enviadas para o local sete viaturas de combate ao incêndio, com 22 elementos dos BVT. Segundo Filipe Coutinho, 2º comandante dos BVT, a principal preocupação era evitar que “as chamas não se propagassem a outras áreas da fábrica”, e para isso, os bombeiros fizeram “um ataque musculado e rapidamente controlaram as chamas”. A parte de enchimento, onde enchiam travesseiros e colchões, foi destruída pelas chamas.

Apesar de existirem testemunhas que alegaram ter ouvido um estrondo semelhante ao de uma explosão, Filipe Coutinho assegura que desde a chegada dos bombeiros ao local nada ouviram ou visualizaram nenhuma explosão. “O teto já tinha desabado, por isso, é possível que tenham ouvido algum estrondo”, justificou. O 2º comandante asseverou que a água utilizada para combater as chamas, possa ter afetado um pouco da área,  frisando que, depois de estarem “totalmente dominadas”, “não usaram mais água, para não estendermos os prejuízos a outras dimensões”. O fogo foi dado como extinto pelas 23.40 horas, mas, por precaução, Filipe Coutinho decidiu “manter uma viatura no local, para fazer uma vigilância ativa”.

Os BVT tinham indicações que a empresa “não estava a laborar” na altura em que deflagrou o incêndio. No local também estiveram presentes a Guarda Nacional Republicana da Trofa e a Polícia Municipal. Contactados os responsáveis da empresa recusaram prestar qualquer esclarecimento à comunicação social. 

{fcomment}