Na passada noite de 21 de junho, o Coliseu do Porto recebeu Anohni, a artista anteriormente conhecida como Antony Hegaty, de Antony and Johnsons, projeto que terminou com um concerto no ano passado nos NOS Primavera Sound.
Anohni inicia agora uma nova fase da sua carreira, não só com a estreia de um novo álbum “Hopelessness”, mas também com a reencarnação numa nova identidade, a sua figura feminina.
Portugal foi um dos primeiros países a receber os concertos de apresentação deste trabalho, descrito por Anonhi como “um disco electrónico de dentes afiados”. “Hopelessness” foi composto em colaboração com Oneothrix Point Never e Hudson Mohawke e é o ponto de partida da artista do registo clássico e sinfónico para uma música eletrónica e dançável, essencialmente marcado por letras com caracter marcadamente político.
Durante pouco mais de uma hora, enquanto escutava a voz potentosa de Anonhi, que se escondeu durante todo o concerto, por debaixo uma capa branca, com um capuz a tapar-lhe o semblante, o olhar do público prendeu-se nas inúmeras imagens de mulheres que foram projetadas.

Alinhamento

– Hopelessness
– 4 Degrees
– Watch Me
– Paradise
– Execution
– Ricochet
– I Don’t Love You Anymore
– Obama
– Violent Man
– Why Did You Separate Me From The Earth?
– Jesus Will Kill You
– Crisis
– Indian Girls
– Marrow
– In My Dreams
– Drone Bomb Me