aumentos-luzSe para muitos ano novo é sinónimo de vida nova, para todos os portugueses 2010 vai também trazer novidades nos encargos mensais. As facturas da electricidade vão registar um aumento de 2,9 por cento no Continente, o que representa um incremento de quase um euro numa factura média de 40 euros. Já na Madeira, a subida será de 2,5 por cento e nos Açores de 2,1 por cento. A entrada no mês de Janeiro quer-se com o pé direito e não faltam também algumas boas notícias para animar as famílias portuguesas: portagens, transportes públicos, pão e leite mantêm os preços e o custo das comunicações desce em 2010.

Ainda assim, poupar parece ser a palavra de ordem para as famílias e na Trofa também não se escapa à premência de fazer contas à vida com o aumento das despesas no final do mês. “É sempre chato, os ordenados e as pensões são baixos, para fazer face à vida temos que poupar muito”, considerou Fabiano Santos, residente em S. Mamede do Coronado. E porque o aumento das facturas da electricidade surge em pleno Inverno, a trofense Ana Oliveira lembra um dos inconvenientes: “Acho que é muito mau porque com o frio que está temos de ligar os aquecedores e é cada vez pior”.

Já para Sílvia Rodrigues, comerciante na Rua Conde de S. Bento, a actual carga fiscal é “enorme” . “Os nossos encargos são muitos e a luz é um bem essencial que não deviam aumentar”, defendeu. Esmeralda Salgueirinho comunga da mesma opinião: “Com estes aumentos a situação é cada vez pior e não podemos empolgar isso no preço das peças”. Mais optimista é Marisa Novo, para quem a subida da luz parece não ser sinónimo de muito impacto nas despesas. “Acho que não é por aí, se outras coisas aumentassem, como por exemplo o IVA, íamos notar a diferença”, defende.

Apesar do aumento da electricidade, o preço do gás mantém-se, pelo menos, até Julho, quando serão conhecidas as novas tarifas para os consumidores domésticos. Os aumentos da água deverão ser conhecidos nos próximos meses, uma vez que os preços variam porque são definidos pelas autarquias. Também as rendas e as prestações da casa não deverão conhecer subidas nos próximos meses, na medida em que as taxas de referência do Banco Central Europeu deverão manter-se em um por cento.

Transportes públicos e portagens mantêm-se

Até Julho, o preço dos transportes públicos urbanos e suburbanos deverá permanecer inalterado, altura em que habitualmente é feita uma revisão dos preços. Andar de táxi também não vai ser mais caro em Janeiro, permanecendo a bandeirada nos dois euros. Inalteradas permanecem também as portagens da grande maioria das auto-estradas nacionais, com excepção para os sublanços Palmela-Nó de Setúbal (A2/A12) e Montijo-Pinhal Novo. Em 2010 poderão também surgir aumentos na A5 (Cascais/Lisboa), uma hipótese já admitida pela Brisa e que surge na sequência da abertura da A16.

Já os CTT – Correios de Portugal não têm ainda qualquer actualização prevista para os preços do serviço postal universal, segundo fonte oficial da empresa.

Para o sector das comunicações, 2010 reserva uma descida dos preços. A Portugal Telecom (PT) anunciou que vai descer o preço das chamadas fixas em cerca de 10,5 por cento e oferecer chamadas ilimitadas dentro da sua rede aos fins-de-semana a partir do dia 1 de Janeiro. De acordo com a agência Lusa, a Vodafone não tem ainda actualização dos preços, a Optimus não prevê aumento geral dos preços e relativamente à TMN ainda não são conhecidas informações.