joana-lima-57 

O dia da comemoração dos 11 anos da criação do concelho da Trofa é “o dia dos trofenses”. Esta é a convicção de Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, que garantiu estar muito orgulhosa e ser “com enorme honra que pela primeira vez como presidente da Câmara comemora a elevação de Trofa a concelho”.

“Para mim esta data, é e será sempre ímpar e singular, devendo ser comemorada e relembrada. Porque foi neste dia, há 11 anos, que os trofenses receberam o bem mais precioso que um povo pode ter: a sua autonomia administrativa. Tal representou podermos tomar nas nossas mãos o nosso futuro colectivo e deu-nos a possibilidade de construir uma sociedade mais justa, desenvolvida e com um padrão mais elevado de desenvolvimento e bem-estar”, afirmou a edil trofense.

Considerando que as comemorações do aniversário da criação do concelho devem continuar a realizar-se, a autarca avança que “esta comemoração deverá fazer sempre parte do núcleo essencial das festividades do nosso concelho. E repare que digo “nosso concelho”, esta expressão é, também ela, um legado desse dia 19 de Novembro de 1998″.

Quanto ao programa que a autarquia preparou para este ano, Joana Lima lembra que
“por norma, as coisas mais simples, mais singelas são as mais significativas, representativas e marcantes”. “Pessoalmente não considero que apenas o dispendioso e ostentatório é bom. Como é do conhecimento geral, este ano tem particularidades que não nos permitiram ter uma celebração que reflicta de forma fiel o cunho que o actual executivo deseja imprimir a este dia. Desde logo, pela proximidade entre a nossa tomada de posse e o dia 19 de Novembro, que não nos possibilitou robustecer a organização que, normalmente, neste tipo de eventos exige algum tempo de preparação e concepção. Mas a intencionalidade está já presente no programa”, acrescentou.

Lembrando as condicionantes económicas que se sentem actualmente, a presidente garante que “apesar do actual contexto económico e orçamental nacional e autárquico, que nos compele a usar de alguma contenção nos gastos camarários, isto não inviabilizará que tenhamos uma cerimónia digna e bonita”.

Atribuindo o dia 19 de Novembro ao “dia dos Trofenses e da Trofa”, a autarca considerou que nesta data “devemos sedimentar a ideia de fazermos deste dia a comemoração das nossas particularidades sociais, culturais e económicas que distinguem o nosso concelho dos demais”. “Uma espécie de ex-líbris daquilo que de melhor se produz e se faz no concelho, daí o recurso a grupos maioritariamente da Trofa. Será com os trofenses que devemos celebrar o dia do concelho da Trofa”, sublinhou.

O futuro do concelho

Quanto ao futuro do concelho, a autarca espera que se cumpra o seu “desejo” e o seu “manifesto eleitoral”. “Para mim, a política só faz sentido enquanto factor promotor do desenvolvimento social e económico. Cumprindo com a palavra dada e promovendo a melhoria do bem-estar das populações através da pragmatização de projectos que vão de encontro às necessidades mais prementes”.

Recorde-se que a construção dos Paços do Concelho, das variantes e do metro e a redução das taxas de ligação à rede pública de abastecimento de água e saneamento são exemplos de algumas garantias dadas aos trofenses pela socialista.

Joana Lima frisou que “apesar dos constrangimentos” com que se deparou quando assumiu o poder, vai por “a casa em ordem”, através de “uma mudança serena e tranquila” e, assim, “posicionar a Trofa no patamar de desenvolvimento e bem-estar que os seus habitantes anseiam e merecem”.