O Trofense venceu  pela margem mínima (0-1) o Santa Clara, em jogo da 36ª jornada da Segunda Liga, disputada hoje à noite no Estádio de São Miguel.
 

Na primeira parte, o Santa Clara até começou mais forte que o Trofense, criando os dois primeiros lances de perigo, mas foi numa das várias jogadas ensaiadas pela equipa visitante que o marcador seria inaugurado. O veloz Leandro foi lançado na direita, nas costas de André Simões, assiste Paulinho que na pequena área encosta para golo. No lance, Hélder Godinho parece mal batido.

Depois de estar em desvantagem, os encarnados de Ponta Delgada demoraram a voltar a criar perigo. Foi, aliás, o Trofense quem esteve novamente em evidência, num lance em que a permissividade da equipa da casa permitiu que Hélder Sousa entrasse na grande área e assiste novamente o avançado Paulinho. Desta vez, valeu o carrinho de Accioly que impediu o remate.

Na segunda parte, Luís Miguel lançou Hugo Santos e Pacheco e o futebol dos encarnados revolucionou-se. Com Hugo Santos na direita e Platini na esquerda, o Santa foi mais agressivo na procura da bola e na criação de lances de perigo.

Aos 66 minutos, Diogo Coelho é expulso por acumulação de amarelos e os açorianos passam a jogar em superioridade numérica, bem aproveitada pelos da casa. Luís Miguel coloca a carne toda no assador, com a entrada de Reguila para o lugar de Accioly, e o golo esteve iminente.

O melhor lance dos encarnados surgiu logo depois do Trofense ter ficado reduzido a dez, quando Platini cruza da esquerda para um ‘salto de peixe’ de Hugo Santos que ‘morreu’ no poste esquerdo da balizade Conrado. Aos 80 e 82 minutos, foi Platini primeiro e Pacheco depois quem desperdiçou o golo do empate.

O resultado não mais se alterou até ao final do encontro. O Santa Clara desce ao 8º lugar, com 53 pontos, a nove do segundo lugar, na posse do Arouca, e a dois do 4º posto, do Sporting B. O Trofense mantém-se na 19ª posição, agora com 35 pontos. Na próxima jornada, o trofense recebe a equipa do Braga B, em jogo a disputar as 16horas de domingo.

Texto e foto: Açoreano Oriental