O Leixões recebeu e venceu hoje o Trofense por 2-1, em encontro da 25.ª jornada da II Liga portuguesa de futebol, somando agora sete vitórias perante o seu público.

O Trofense mostrou muitas dificuldades, tanto na defesa, algo lenta e insegura, como no ataque, inofensivo e desgarrado. Mas, curiosamente, foi por pouco que não fez o primeiro golo, quando Magique surpreendeu Rui Sacramento, logo aos 30 segundos, com um remate forte ao poste da baliza leixonense.

Esse lance foi, porém, uma exceção, porque a equipa visitante atacou pouco e mal e viu-se em grandes apuros face a um Leixões que impôs velocidade ao seu futebol.

Num lance individual, Calé atirou forte e obrigou Marco a uma defesa complicada. O Trofense procurou contra-atacar, mas foi o Leixões que, na resposta, marcou.

O golo surgiu de um desentendimento entre o central Luís Alberto e o seu guarda-redes, que Luís Silva aproveitou, empurrando a bola para a baliza adversária.

Tudo ficou pior para o Trofense quando João Amorim viu o cartão vermelho direto, na sequência de uma entrada mais dura sobre Zé Pedro (42 minutos), deixando a sua equipa em inferioridade numérica.

Na segunda parte, o Leixões confirmou a sua superioridade com novo golo. Zé Pedro fez um lançamento certeiro e Mailo, só com o guarda-redes contrário à sua frente, apontou o segundo.

Pareceu, então, que o destino do jogo estava traçado, até porque o Leixões dispôs ainda de uma mão cheia de ocasiões para dilatar a sua vantagem, mas todas elas foram desaproveitadas.

Só à sua conta, Mailo falhou três grandes ocasiões de golo, para desespero dos adeptos leixonenses.

O Trofense ainda conseguiu reduzir, por Jonathan (90 minutos), numa altura em que o Leixões já só tinha também 10 jogadores.

Esse golo criou alguma incerteza, mas o Leixões conseguiu somar mais três pontos, tendo agora 34, o que lhe dá algum conforto na tabela classificativa.

Lusa