O Trofense perdeu hoje em casa , por 2-3, em encontro da 39.ª jornada da II Liga portuguesa de futebol, frente ao Benfica B.

 
Na primeira parte a equipa da Trofa esteve em vantagem com um golo de Leandro (41), mas Ivan Cavaleiro (49), Dyverson (55) e Rosado (84, de grande penalidade) protagonizaram a reviravolta.
Hebert Santos ainda marcou para o Trofense, nos descontos, mas não chegou para conseguir pontuar. Magique (seis minutos) e Rateira (11) podiam ter inaugurado o marcador, mas ambos os remates saíram pouco ao lado da baliza benfiquista.
 Do lado do Benfica B, o único lance de realce do primeiro tempo teve lugar aos 25 minutos, quando Cavaleiro, a passe de Garcia, permitiu a defesa de Conrado. 
Sem surpresa, o Trofense chegou ao golo, antes de intervalo (aos 41 minutos) por intermédio de Leandro, que recebeu um passe de Diogo Coelho e não desperdiçou, num lance em que o guarda-redes Mika não ficou isento de culpas. 
Mas, na segunda parte, o conjunto orientado por Norton de Matos surgiu mais solto e inspirado e, também muito graças à distração da defesa da casa, conseguiu com facilidade a reviravolta no marcador. Cavaleiro fez o empate, aos 49, e Dyverson assinou o segundo tento dos ”encarnados”, após cruzamento de Lindelof (55).
 Antes, o Trofense esteve perto de ampliar, mas Magique mandou ao lado (47 minutos) e a tarefa da equipa de Micael Sequeira – que estava obrigada a ganhar para sedimentar a ”fuga” aos lugares de despromoção, aproveitando o deslize do concorrente direto Covilhã (derrota por 3-0 em casa, frente ao Portimonense) – ficou muito complicada já que, a vencer, o Benfica B fechou bem a sua defesa.
 Foram várias as tentativas do Trofense e o empate esteve à vista, aos 79 minutos, quando o capitão Tiago atirou forte, de fora da área, mas à barra. Mas a esperança trofense desfez-se aos 83 minutos, quando o juiz algarvio Nuno Almeida considerou que Hebert fez falta sobre Diogo Rosado e mandou marcar grande penalidade que o próprio médio “encarnado” converteu, aos 84, sentenciando a partida. Hebert redimiu-se da falta que deu a grande penalidade com um golo nos descontos (90+4), mas a reação dos locais foi tardia.
 
Lusa