Um golo solitário de Mateus Fonseca, ainda na primeira parte, permitiu ao Trofense vencer o Académico de Viseu, em jogo da 16.ª jornada da 2.ª Liga, e alcançar a primeira vitória em casa. Na Trofa, cruzaram-se duas equipas que lutam pelo mesmo objetivo: a manutenção.

O Trofense, à entrada para esta jornada e com um jogo a mais (derrota em casa do União da Madeira por 4-0), seguia em último lugar, com menos três pontos que o Académico de Viseu, penúltimo classificado. Uma vitória para os locais significaria, portanto, igualar um adversário direto. Mas, em caso de vitória, a equipa de Viseu saltaria logo cinco lugares, passando à frente da Oliveirense, Atlético, Santa Clara e Feirense que já tinham jogado.

O Trofense entrou no jogo de forma mais organizada e pragmática, sempre com os olhos postos na baliza do Académico de Viseu, que só após estar em desvantagem é que passou a empenhar-se a sério no ataque.

Aos 12 minutos, Mateus Fonseca obrigou o guarda-redes Janota a uma grande defesa. Padilla, aos 25, com um remate cruzado, também esteve perto de abrir o marcador. O golo trofense acabou por surgir com naturalidade, aos 30 minutos, com Mateus Fonseca a completar de cabeça um cruzamento de Hélder Sousa.

A equipa de Viseu reagiu com João Martins a atirar de longe para fora (34 minutos) e, após o intervalo, aos 55, o mesmo jogador voltou a atirar rente à trave da baliza de Conrado, na sequência de um livre. Os visitantes ganharam ânimo e passaram a dominar por completo o meio-campo, área onde o Trofense perdia consecutivamente bolas e abria muitos espaços, ficando demasiado à mercê das investidas adversárias.

Aos 66 minutos, Leonel protagonizou um remate forte de longe que só foi travado por Conrado que, assim, também teve oportunidade de fazer a defesa da tarde, continuando a evitar um empate mais do que justo.

Com a hipótese de conseguir aquela que seria a primeira vitória em casa (o Trofense só registava uma única vitória fora, no Covilhã por 4-1), o treinador da Trofa preocupou-se em apostar na defesa com a entrada de mais um central, Luiz Alberto, e até o médio e capitão Tiago recuou para ajudar a completar a “muralha trofense”.

Sucediam-se as tentativas, já mais em esforço e desespero do que com técnica, do Académico de Viseu, mas o Trofense acabou mesmo por conseguir, muito graças a Conrado, que defendeu nos sete minutos dados de compensação que se traduziram em nove, três cantos.

Nota para escaramuças, logo após o apito final, que valeram a Conrado e a Paulo Monteiro um cartão vermelho direto. Os dois jogadores envolveram-se no terreno mas a disputa e troca de palavras continuou à entrada do túnel de acesso aos balneários.

Jogo no Estádio do Clube Desportivo Trofense, na Trofa

Ao intervalo: 1-0.

Marcador: 1-0, Mateus Fonseca, 30 minutos.

Trofense: Conrado, Tiago Mesquita, Márcio, Dennis, Rateira, Tiago, Hélder Sousa (Maicon Assis, 71), Jorge Inocêncio (Luiz Alberto, 84), Mateus Fonseca (Neves, 80), Preciado e Padilla. (Suplentes: Diogo Freire, Viafara, Maicon Assis, André viana, Luiz Alberto, Neves e Rua).
Treinador: Porfírio Amorim.

Académico de Viseu: Ricardo Janota, Tiago Rosa, Paulo Monteiro, Tiago Gonçalves, Marco Lança, Ibraima, João Martins (Bruno Loureiro, 75), Leonel (Outtara, 68), José Rui (Diogo Alves, 61), Luisinho e Cafu. (Suplentes: Nuno Ricardo, Diogo Alves, Ricardo Ferreira, Bruno Loureiro, Outtara, Cláudio e Lourenço). Treinador: Filipe Moreira. Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa).

 Ação disciplinar: Cartão amarelo para Márcio (07), Jorge Inocêncio (39), João Martins (39), Tiago (56), Maicon Assis (79) e Diogo Alves (90+5). Vermelho direto para Conrado (90+9) e Paulo Monteiro (90+9).

Assistência: Cerca de 1.000 espetadores.