Faltavam cerca de 15 minutos para o fim do encontro entre o Amarante e o Clube Desportivo Trofense, quando a equipa da Trofa decidiu abandonar o jogo, que contava para a 13.ª jornada da série B do Campeonato de Portugal Prio. O Trofense perdia por 3-0.

O Trofense vai contestar, junto da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), o jogo que disputou este domingo em casa do Amarante e que terminou aos 76 minutos, com o abandono do emblema trofense quando perdia por 3-0.
Em declarações à Agência Lusa, o presidente da comissão administrativa do Trofense, Luís Lima, avançou que pretende enviar à FPF um vídeo do jogo, bem como uma exposição, para “exigir que o árbitro da partida seja irradiado do futebol”.
Em causa está o encontro Amarante-Trofense, da 13.ª jornada da Série B do Campeonato de Portugal, que teve como árbitro Pedro Miguel Maia, da Associação de Futebol do Porto.

Luís Lima alega que a equipa trofense foi “provocada do início ao fim” do jogo e que, afirmou o dirigente desportivo, “já sem diretores desportivos no banco”, os jogadores “acederam aos apelos do público para abandonarem o relvado”.

“Tínhamos nas bancadas 300 pessoas da Trofa, que, ao verem o que se estava a passar – três expulsões em campo, três expulsões no banco, duas grandes penalidades por marcar e golos irregulares -, gritaram ‘vamos embora’. Os nossos homens estavam psicologicamente abalados, foram provocados, massacrados por um árbitro que não dignifica o futebol português e acederam aos pedidos dos adeptos”, descreveu Luís Lima.

O presidente da comissão administrativa, apontou que esta situação põe em causa o futuro do clube, “devido às multas e à falta de jogadores” para disputar jogos futuros, frisando, no entanto, que a decisão da tarde de hoje e a exposição que pretende fazer seguir para a FPF “nada” tem a ver com o adversário.

“O Amarante merece todo o respeito. É um clube de gente boa e séria e somos muito bem recebidos lá. Aquele senhor (referindo-se ao árbitro) é que protagonizou um espetáculo muito triste e fez coisas muito graves, num jogo decisivo para os lugares de subida. É um rato que tem de sair do futebol. O Trofense está a incomodar muita gente e agora é alvo de maldades”, disse o responsável.

Luís Lima apontou que o emblema trofense abandonou o encontro sem assinar a ficha de jogo e afirmou desconhecer onde estavam os observadores de jogo.

Com este resultado, o Trofense segue em quinto, com 19 pontos, menos sete do que o Amarante, que é terceiro, com os mesmos pontos do líder, o Marítimo B.

Reportagem alargada na próxima edição do jornal O Notícias da Trofa, quinta-feira nas bancas.

 

Fotografia arquivo