magusto-PS-83
 
A presidente da Câmara da Trofa, Joana Lima, defende que a construção da ligação do Metro do Porto até à Trofa seja considerada prioritária na extensão da rede do metropolitano, esperando que esta seja “retomada” em 2014.

 
“Temos consciência e somos responsáveis para saber que não é oportuno avançar [devido à crise], mas o que é um facto é que foram feitos investimentos em centenas de quilómetros de metro em momentos em que o país era próspero e a Trofa não foi contemplada”, diz Joana Lima, em declarações à agência Lusa, esta quinta-feira, a propósito dos 10 anos do Metro do Porto.
 
Para a autarca, “é preciso não esquecer que a ligação do metro à Trofa estava integrada na 1.ª fase” da rede, já concluída, e que o concurso para a realização da obra chegou a ser “lançado e depois suspenso”.
 
“O que está dito é que seria suspenso até 2014. Espero que a partir daí se retome este processo com responsabilidade, porque os trofenses viram-se privados de um meio de transporte que tinham, porque havia essa possibilidade forte de ter metro”, sublinha.
 
Nem comboio nem metro
A 24 de Fevereiro de 2002, a circulação ferroviária nas linhas da CP da Póvoa de Varzim e da Trofa foram encerradas para dar início às obras de construção do canal do metro, disponibilizando-se um serviço de transportes alternativos em autocarro aos clientes.
 
A população da Trofa continua sem metro, enquanto a ligação à Póvoa foi inaugurada a 18 de Março de 2006.
 
Para a autarca socialista, que é administradora não executiva da empresa Metro do Porto desde o Verão, “a situação actual não serve os interesses da cidade” e prova disso é “a petição com mais de 10 mil assinaturas” que chegou ao parlamento este ano.
 
“Iremos continuar a lutar”, garante, acrescentando que o facto de estar na administração da empresa “é um meio e uma forma de estar mais presente e mais perto de uma reivindicação”.
 
Joana Lima salienta ainda que há 10 anos que a cidade é pensada em torno do projecto do metro, referindo, a título de exemplo, a obra de requalificação e regeneração do centro que se encontra já “em fase de ser adjudicada”.
 
A inexistência da ligação do metro até à Trofa originou nas últimas legislativas boicotes eleitorais e a autarca diz acreditar que, nas autárquicas de 2013, “os trofenses saberão bem distinguir a responsabilidade de cada um”.
 
A população “sabe bem que eu estarei na linha da frente em defesa deste projecto importante”, sustenta.
 
Para Joana Lima, o Metro do Porto trouxe, “sem dúvida alguma, uma forma de mobilidade muito importante para toda a Área Metropolitana do Porto (AMP)”.
 
O Metro do Porto foi “um projecto tão ambicioso no passado e hoje é normal, damo-lo como adquirido”.
 
A inauguração da Linha Azul (A) e do sistema de metropolitano da AMP ocorreu no dia 7 de Dezembro de 2002, numa cerimónia oficial que decorreu na estação da Casa da Música, presidida pelo primeiro-ministro Durão Barroso.
 
Ouvido pela Lusa, o “pai” o projecto, o socialista Fernando Gomes, elogiou a “revolução” operada na última década mas lamentou precisamente a falta de ligação à Trofa.
 
 
Fonte: Lusa
 
{fcomment}