O simpósio organizado pela Fundação Bial reuniu na Casa do Médico no Porto, durante quatro dias, “centenas de especialistas” da área da psicologia, para debaterem o tema “Intuição e Decisão”.

Um dos objectivos era “analisar sob vários prismas científicos a forma como a intuição interfere no processo de tomada de decisões”, explica a Lusa.

A mesma notícia refere, ainda, que “os organizadores do VIII Simpósio Aquém e Além do Cérebro congratularam-se com o facto dos trabalhos de parapsicologia apresentados no encontro demonstrarem uma crescente preocupação de rigor científico, com base em trabalho laboratorial e empírico”.

Em declarações à agência de informação, Luís Portela, presidente da farmacêutica Bial, com sede em S. Mamede do Coronado, disse que “o que está a acontecer na parapsicologia científica é que as pessoas estão a estudar, a desenvolver os seus trabalhos sob o rigor do método científico e a apresentá-los e a ombrear com os outros cientistas. É assim que se constroem as coisas, se desbrava o terreno mesmo em áreas relativamente difíceis como é esta”. “A parapsicologia foi tendo menos credibilidade durante alguns anos, fruto de algumas pessoas que faziam as coisas de forma menos credível e com oportunismo. Os parapsicólogos estão a fazer um trabalho de sapa de recuperação dessa credibilidade através da utilização da metodologia clássica e do rigor do método científico, conseguindo resultados muito simpáticos”, acrescentou.

O professor universitário Alexandre Castro-Caldas, da comissão organizadora do encontro, fez um balanço “muito positivo” do simpósio, dedicado ao tema “Intuição e Decisão”, considerando que “foi possível a integração de informação proveniente de várias origens”.

O investigador Nuno Crato atribuiu um papel importante à intuição na busca de soluções e na aprendizagem da matemática mas sublinhou que ela exige um treino anterior que crie padrões mentais. Crato, que falava à Lusa à margem do simpósio Aquém e Além do Cérebro, promovido no Porto pela Bial, defendeu que “em matemática são precisas as duas coisas, intuição e rigor”.

Neste momento, estão abertas as candidaturas para a 14ª edição do Prémio BIAL, também da responsabilidade da Fundação Bial. Esta edição apresenta como grande novidade o aumento do valor pecuniário atribuído para um total de 320 mil euros o que reforça o Prémio BIAL como um dos maiores prémios na área da saúde da Europa.

Com Lusa