Devido à crise mundial provocada pela pandemia da Covid-19, a Associação dos Produtores de Leite de Portugal – APROLEP – lançou um comunicado para assegurar que produção decorre dentro da normalidade, mas sempre com o máximo de precauções possível.

Para além disso, a associação presidida pelo trofense Jorge Oliveira apela à solidariedade e à responsabilidade dos portugueses, assegurando que não se justifica o excesso de compras por parte dos consumidores, na medida em que, dessa forma, “dificultam o trabalho de reposição e acesso de todos à alimentação”.

Além disso, a APROLEP reforça a importância do setor agropecuário no que toca à alimentação das populações, sublinhando que o Governo deveria reconhecer a importância deste de forma permanente e não só em alturas de crise.

“Sublinhamos ainda que a brutal redução da poluição a nível mundial, após a paragem do tráfego aéreo, do trânsito urbano e de outras atividades económicas demonstrou de uma forma muito clara que não eram as vacas a causa dessa poluição” alude ainda a associação, acrescentando que os novos hábitos dos portugueses face a esta pandemia resultaram em alterações no consumo, surgindo assim novos problemas a resolver.

No setor do leite de vaca, algumas queijarias demonstram dificuldades pela falta de escoamento dos produtos, visto que “o seu mercado era a restauração e estão com dificuldade para comprar aos produtores o leite produzido, havendo propostas para redução drástica do preço em 30%”. O mesmo acontece nas produções de leite de cabra e de ovelha, onde alguns produtores foram obrigados a desperdiçar tanques de leite já produzido.

Assim, a APROLEP apela aos transportadores e às industrias a não perderem os produtos produzidos e aos consumidores a comprarem, dentro da sua disponibilidade, produtos que consomem nos restaurantes para que o meio rural se mantenha ativo e produtivo. “Não esquecer que cabras, ovelhas e agricultura à volta das aldeias são a primeira proteção para evitar os incêndios de todos os anos”, relembra a organização.

Para além do nosso país, a direção da Associação dos Produtores de Leite de Portugal realça ainda a importância da produção agrícola ao nível da União Europeia, pois, devido às restrições relativas ao surto de Covid-19, prevê-se uma crise económica e de comércio internacional, que poderá ser antecipada por uma análise permanente do mercado, referindo ainda a importância de “conter a produção para que países excedentários de leite não inundem os mercados de países como Portugal, que têm uma produção ajustada ao consumo”.

Leonor de Lemos/CV