quant
Fique ligado

Covid-19

“ Pandemia Coronavírus”

Publicado

em

No âmbito desta pandemia, sabemos que a infeção deste novo Coronavirus evolui para a doença COVID-19.

A transmissão é feita de pessoa a pessoa, durante uma exposição próxima a uma pessoa com COVID 19, através da disseminação de gotículas respiratórias produzidas durante o acto de tossir, espirrar ou falar.

Os casos suspeito de infeção por este vírus define-se quando a pessoa apresenta infeção respiratória aguda grave (inicio súbito de febre ou tosse ou dificuldade respiratória) sem outra etiologia que explique o quadro clinico e tenha história de viagem ou residência em área de transmissão comunitária ativa, nos 14 dias do início dos sintomas; doente com infecção respiratória aguda e contacto com um caso confirmado de infeção por COVID-19, ou requerendo hospitalização sem outra etiologia.

Um caso confirmado de infecção tem a confirmação laboratorial de SARS-CoV-2, independentemente dos sinais e sintomas

Por isso, o ISOLAMENTO SOCIAL que estamos a pedir é um dos meios mais importantes para a redução do risco de transmissão.

Este é o principal medicamento para a cura desta pandemia e só você é que pode ajudar ficando em casa.

De referir que o tratamento dos casos confirmados é apenas sintomático e de suporte de órgãos.

Publicidade

Portanto, é importante reforçar as recomendações de saúde da Direção-Geral da Saúde (DGS):

• Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com água e sabão, esfregando-as bem durante pelo menos 20 segundos;

• Reforçar a lavagem das mãos antes e após a preparação de alimentos, após o uso da casa de banho e sempre que as mãos parecerem sujas;

• Pode também usar-se em alternativa uma solução à base de álcool;

• Evitar contacto próximo com pessoas com sinais e sintomas de infeções respiratórias agudas;

• Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes;

• Evitar contacto com animais;

Publicidade

Se porventura existir a necessidade de sair á rua, aconselho o uso de mascara para sua proteção e principalmente para proteção dos outros.

Se tiver algum sintoma e ou duvida não te desloques ao Hospital nem a outros serviços de saúde sem antes ligar á linha Saude24.

Ficando em casa está a ajudar.

Elaborado por Dr. Rui Vaz,

– Licenciado em Medicina pela Universidade do Porto no ano 2004;

  • Médico especialista em Medicina Física e de Reabilitação desde Abril de 2012;
  • Médico especialista em Medicina Desportiva desde Outubro 2017;
  • Assistente Hospitalar a exercer funções no Hospital Senhora da Oliveira – Guimarães;
  • Colaborador na Fisitrofa e na Clínica Central de Gaia na especialidade de MFR / Medicina Desportiva;
Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Covid-19

Campanha de vacinação da covid-19 e da gripe arranca na quarta-feira

Publicado

em

Por

A campanha de vacinação do outono-inverno contra a covid-19 e a gripe vai ser iniciada na próxima quarta-feira, com o objetivo principal de proteger as pessoas mais vulneráveis, anunciou hoje a diretora-geral da Saúde.

“No âmbito das linhas orientadoras para a covid-19 e outras infeções por vírus respiratórios no outono-inverno de 2022-2023, inicia-se no próximo dia 07 a campanha de vacinação sazonal que decorrerá, tal como no ano passado, simultaneamente para a covid-19 e para a gripe”, adiantou Graça Freitas em conferência de imprensa.

Segundo disse, os principais objetivos para as próximas estações de outono e inverno passa por proteger a população mais vulnerável, prevenindo a doença grave, a hospitalização e a morte por covid-19 e por gripe, e mitigando o impacto dessas doenças nos serviços de saúde.

Continuar a ler...

Covid-19

Campanha de vacinação de outono contra a covid-19 pode já incluir vacinas adaptadas

Publicado

em

Por

A campanha de vacinação de outono contra a covid-19 e a gripe poderá já incluir as vacinas adaptadas à variante Ómicron do SARS-CoV-2, caso os ensaios clínicos o permitam, disse hoje em Penafiel a ministra da Saúde, Marta Temido.

“Se essas vacinas adaptadas estiverem disponíveis para a campanha de outono, faremos a campanha de outono, em função, naturalmente, de uma validação técnica e clinica”, disse hoje aos jornalistas Marta Temido em Penafiel, no distrito do Porto.

Frisando não querer “nem condicionar nem estar aqui a precipitar” as análises necessárias, a ministra vincou que caso seja possível a campanha de outono será feita “com base nessas vacinas”.

“Resta saber quais são os resultados dos ensaios clínicos com essas vacinas, porque essas vacinas adaptadas apenas agora em junho iriam entrar em ensaios clínicos, e portanto nós precisamos de perceber os resultados desses ensaios para, no fundo, perceber a sua eventual vantagem”, sustentou.

A ministra referiu que Portugal está envolvido no processo de compra das vacinas adaptadas, que a Agência Europeia dos Medicamentos (EMA) anunciou na quinta-feira poderem ser aprovadas em setembro.

Marta Temido, que falava no Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Vale do Sousa Sul após a assinatura de autos de transferência no âmbito do processo de descentralização de competências para as autarquias, acrescentou que já foram adquiridos “mais de 15 milhões de euros de vacinas para a gripe para a próxima época gripal, portanto outono/inverno de 2022/23”.

“O plano neste momento é a administração mais combinada possível das atuais vacinas [covid-19] e das vacinas para a gripe”, ressalvou, com o objetivo de proteger primeiro os mais vulneráveis, mas admitiu que se houver alterações serão precisos ajustamentos. “Os planos também são feitos com essa latitude”.

Publicidade

Marta Temido disse ainda que o núcleo de vacinação irá apresentar o plano ainda esta semana.

Quanto ao processo de vacinação da quarta dose para os idosos, e depois de terem sido atingidos, no sábado, 200 mil vacinados, o objetivo “é ter este grupo vacinado o mais depressa possível, e garantidamente neste mês”.

“Já o sabemos dos anteriores processos de vacinação que esta população é mais difícil de vacinar, pelas questões associadas à mobilidade, à necessidade de apoio, muitas vezes da família ou dos municípios, para se deslocarem, portanto é um processo que é difícil”, sustentou.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);