No âmbito desta pandemia, sabemos que a infeção deste novo Coronavirus evolui para a doença COVID-19.

A transmissão é feita de pessoa a pessoa, durante uma exposição próxima a uma pessoa com COVID 19, através da disseminação de gotículas respiratórias produzidas durante o acto de tossir, espirrar ou falar.

Os casos suspeito de infeção por este vírus define-se quando a pessoa apresenta infeção respiratória aguda grave (inicio súbito de febre ou tosse ou dificuldade respiratória) sem outra etiologia que explique o quadro clinico e tenha história de viagem ou residência em área de transmissão comunitária ativa, nos 14 dias do início dos sintomas; doente com infecção respiratória aguda e contacto com um caso confirmado de infeção por COVID-19, ou requerendo hospitalização sem outra etiologia.

Um caso confirmado de infecção tem a confirmação laboratorial de SARS-CoV-2, independentemente dos sinais e sintomas

Por isso, o ISOLAMENTO SOCIAL que estamos a pedir é um dos meios mais importantes para a redução do risco de transmissão.

Este é o principal medicamento para a cura desta pandemia e só você é que pode ajudar ficando em casa.

De referir que o tratamento dos casos confirmados é apenas sintomático e de suporte de órgãos.

Portanto, é importante reforçar as recomendações de saúde da Direção-Geral da Saúde (DGS):

• Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com água e sabão, esfregando-as bem durante pelo menos 20 segundos;

• Reforçar a lavagem das mãos antes e após a preparação de alimentos, após o uso da casa de banho e sempre que as mãos parecerem sujas;

• Pode também usar-se em alternativa uma solução à base de álcool;

• Evitar contacto próximo com pessoas com sinais e sintomas de infeções respiratórias agudas;

• Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes;

• Evitar contacto com animais;

Se porventura existir a necessidade de sair á rua, aconselho o uso de mascara para sua proteção e principalmente para proteção dos outros.

Se tiver algum sintoma e ou duvida não te desloques ao Hospital nem a outros serviços de saúde sem antes ligar á linha Saude24.

Ficando em casa está a ajudar.

Elaborado por Dr. Rui Vaz,

– Licenciado em Medicina pela Universidade do Porto no ano 2004;

  • Médico especialista em Medicina Física e de Reabilitação desde Abril de 2012;
  • Médico especialista em Medicina Desportiva desde Outubro 2017;
  • Assistente Hospitalar a exercer funções no Hospital Senhora da Oliveira – Guimarães;
  • Colaborador na Fisitrofa e na Clínica Central de Gaia na especialidade de MFR / Medicina Desportiva;