Com todo o respeito que me merece a Direcção deste jornal, que é muito, não posso deixar de me referir à pequena polémica que envolveu recentemente o artigo de opinião de Jaime Toga e a Direcção do NT, chamando à colação as declarações de Paulo Queirós à Trofa TV sobre a posição da CDU em relação à localização dos Paços de Concelho.

atanagildoloboComo ainda escrevi recentemente não tenho a soberba da certeza, nem a certeza da razão, mas tenho a clareza das decisões, a firmeza dos princípios e o carácter da frontalidade. Por isso, não poderia deixar de me pronunciar sobre a “Nota de Redacção” da Direcção do NT em referência ao artigo de Jaime Toga, abordando a posição política da CDU sobre a matéria em referência.

Com efeito, a forma como é escrita a mencionada “Nota de Redacção” confere ao leitor o juízo de considerar não ser a CDU portadora de qualquer posição ou opção quanto à localização futura dos Paços de Concelho, ou então sugere uma atitude de indiferença em relação a essa localização. Serve-se para o efeito a Direcção do NT das aludidas declarações de Paulo Queirós à Trofa TV, transcrevendo duas frases que, só desligadas do contexto das outras revelações, poderiam levar a tão errónea conclusão.

Como fez Jaime Toga, não poderei adjectivar a “Nota de Redacção” de ” mau tratamento jornalístico”, pela consideração que me merece a Direcção do NT, mas que existe displicência nesse tratamento, existe. Denomino apenas de displicência, pois, na realidade, transmite três mensagens que não correspondem à verdade e que, para que se faça justiça, carecem de correcção e alguma reprimenda.

Primeiro, a CDU tem posição, que tem mantido ao longo dos tempos. Clara, precisa e definida. Coerente e consequente. A CDU foi a única força politica a opor-se, frontal e claramente, à localização escolhida e proposta pelo PSD e aprovada pelo PS na Assembleia Municipal de construir a futura câmara na zona da Capela. Mais. A CDU, desde a primeira hora sempre se manifestou a favor da localização dos Paços do Concelho na zona da Feruni. Pode haver até um ou outro elemento desta coligação que mostre simpatia por diferente solução, mas a resolução do colectivo foi e é a zona da Feruni.

Segundo e consequentemente, não é verdade o que afirma a “Nota de Redacção” do NT de que «…actualmente a CDU não é contra a localização da Câmara no bairro da Capela».

Existem, ao que se sabe, três opções. Delas, a primeira opção para a CDU é e sempre foi a zona da Feruni. Admite como segunda opção a zona da Estação. E só em ultimo caso e como terceira opção a zona da serração da Capela, mas sempre e só com outro enquadramento, que não o actual, ou seja, de forma a não abranger o parque.

Terceiro, em caso algum, das declarações proferidas por Paulo Queirós à Trofa TV, pode a “Nota de Redacção” do NT chegar à conclusão que publica. Só omitindo e desvirtuando. O depoimento de Paulo Queirós à Trofa TV traduz exactamente o referido no parágrafo anterior e por conseguinte, a opção clara e sem espinhas pela zona de Feruni. Considera a hipótese de uma segunda escolha pela zona da estação. Rejeita liminarmente a suposição da serração da capela tal como é apresentada, admitindo essa localização, mas apenas e só, dentro de outro enquadramento.

Destarte, é bom mesmo que os trofenses acedam a www.trofa.tv e que ouçam as palavras de Paulo Queirós.

Sejamos pois claros, objectivos e lineares. A tentativa, embora não intencional, digo-o eu, pois acredito na bondade da Direcção do NT, de amarrar a CDU a posição política que não é a sua, não cola. Os trofenses e o povo do nosso concelho conhecem a CDU. Sabem da coerência e consequência da CDU nas posições que assume, sem qualquer intenção eleitoralista ou de delas retirar dividendos políticos. Foi assim com a criação do concelho e foi, e sempre assim será, sobre a localização dos Paços de Concelho.

…Tudo em nome da transparência.

 

Atanagildo Lobo.