armindoaraujo

O piloto português Armindo Araújo (Mitsubishi), que se sagrou hoje campeão do Mundo do agrupamento de produção, mostrou-se muito contente com a conquista do título, culminando assim um projecto de três anos.

“Este era um projecto de três anos, que nos levou para o campeonato do Mundo depois de termos vencido em Portugal. Montámos este projecto com os nossos patrocinadores e, no final do terceiro ano, conseguimos este tão ambicionado título”, disse à Agência Lusa Armindo Araújo.

O piloto português, que ficou em quinto lugar no agrupamento de Produção do Rali da Austrália, mas marcou os pontos do quarto, terá ainda de aguardar pela decisão final quanto à desclassificação do piloto dos Emiratos Árabes Unidos Nasser Al-Attiyah no Rali da Acrópole, para ver o seu título finalmente atribuído.

Apesar de ainda aguardar por esse desfecho, Armindo Araújo estava muito satisfeito com a sua prestação: “Foi fantástico termos conseguido aqui este lugar para fecharmos as contas do título. Era uma grande responsabilidade que tinha, mas felizmente correu tudo pelo melhor e estamos todos muito contentes”.

Ao longo do ano as dificuldades foram aparecendo, mas o corredor natural de Santo Tirso salientou o bom trabalho realizado durante a época para alcançar este resultado.

“Um campeonato do Mundo é muito complicado, com provas longas, duras e onde tudo pode acontecer. Era preciso também a estrelinha da sorte que não nos acompanhou em anos anteriores. Este ano as coisas estão bem melhores, temos trabalhado bem, pontuámos em todas as corridas, ganhámos ralis e especiais, o que nos permitiu chegar à Austrália a precisar apenas do quarto lugar. Felizmente conseguimos, e vamos levar o título para Portugal”, acrescentou Armindo Araújo.

Já em relação ao futuro, nada está planeado ainda: “De momento não há nada planeado. Temos lugar em várias equipas, mas vai tudo depender das verbas que possa levar e do que os patrocinadores pretendem fazer em termos de projecto”.