O movimento cívico “Metro para a Trofa já” convocou para 15 de março uma manifestação que pretende mobilizar milhares de pessoas num percurso entre Castelo da Maia e Muro, exigindo a instalação da linha do Metro, foi hoje anunciado.

O presidente da Junta de Freguesia do Muro, José Fernando Martins, explicou à Lusa a iniciativa que pretende encher de pessoas a Estrada Nacional 14, nos dois sentidos, para reclamar “o direito de receber a linha do metro”.

A população local viu a linha do comboio que servia a freguesia ser suprimida com a promessa de instalação da linha do Metro, o que nunca veio a concretizar-se, facto que a fez sentir-se “duplamente penalizada” pela decisão administrativa do Governo de então.

Responsável pelos contactos e preparação da iniciativa, o autarca explicou que a sua participação “decorre do facto de o Muro ser a primeira freguesia do concelho prevista para receber o Metro e a que mais foi prejudicada com este processo”.

Tendo em conta que a freguesia vizinha de Castelo da Maia, no concelho da Maia, “está servida apenas em metade pelo Metro, que termina no ISMAI (Instituto Universitário da Maia)”, a atração dessa população para se manifestar é um capital que “não querem desperdiçar, uma vez que também ela está insatisfeita”, insistiu José Fernando Martins.

“Queremos ter também essa população na manifestação, porque também ela não está abrangida pelo serviço”, disse.

E prosseguiu: “a ideia é reunir alguns milhares de pessoas de movimentos associativos e empresarial para fazer a ligação entre a Estação Nova da Trofa, onde passa a via larga do comboio, e o ISMAI. O ponto de concentração será encontrado numa caminhada de cerca de sete quilómetros, cumprido nos dois sentidos, encontrando-se os dois grupos na estação do Muro, antiga estação do comboio, desativada para se tornar na primeira estação do metro na Trofa”.

A caminhada será pela EN 14 e na quinta-feira as duas juntas de freguesias vão reunir-se para “tratar de aspetos da organização do evento” que “deverá estender-se por cerca de duas horas”, deixando a organização a cada um “a forma como cumprirá o percurso”.

A intenção do prolongamento do Metro à Trofa, inicialmente denominada por Linha T, existe desde 1999 com término na Estação da Trofa, sendo aproveitado o canal de Comboio existente (Linha Porto — Guimarães).

Durante o ano de 2001 efetuaram-se diversas reuniões entre a Metro do Porto e a autarquia, com o intuito de, em conjunto, serem definidas as principais diretrizes do projeto do Estudo Prévio, apresentado em fevereiro de 2002.