Os futebolistas do FC Famalicão ponderam a possibilidade de faltar ao jogo com o São Pedro da Cova, domingo, da 21ª jornada da Série C da III Divisão, devido aos três meses de salários em atraso.

famalicao.jpgOs jogadores, que hoje reuniram e decidiram tomar uma "medida de risco", explicaram à Agência Lusa as bases da decisão e revelaram que o "desinteresse e incapacidade" do presidente da Comissão Administrativa, Carneiro da Silva, são determinantes para o "péssimo estado do clube".

"O presidente trata os jogadores abaixo de cão. Treinamos sem médico, sem nada. Há jogadores em situação muito complicada. Muitos jogadores têm mesmo dificuldade em conseguir dinheiro para alimentação", disse Micael Hélder, vice-capitão de equipa à Agência Lusa, em nome de todo o grupo de trabalho, já que a decisão foi "unânime".

O vice-capitão do 11º classificado da Série C (19 pontos, relativos a cinco vitórias, quatro empates e 11 derrotas) considerou que um clube como o FC Famalicão (seis presenças na principal divisão portuguesa) não merece o presidente que tem e revelou mesmo que o emblema minhoto tem já uma direcção disponível, caso Carneiro da Silva se demita.

"Não vamos mais treinar, aliás, hoje já não o fizemos e ponderamos a possibilidade de não jogar. Só o faremos se os três meses em atraso forem disponibilizados. No entanto, como os sócios têm sido exemplares no apoio, até podemos continuar a jogar. Mas só mesmo pelos sócios", alertou também

O atleta recordou que muitos dos jogadores que transitaram da temporada passada também têm cinco meses de salários em atraso ainda de 2006/07 e salientou ser impensável um clube numa zona rica como Famalicão não consiga encontrar apoios.

"Há jogadores que jogam de borla, como os juniores. Depois, a média de subsídios é de apenas 500 euros. Como é possível não encontrar apoios? Uma pessoa que saiba estar em sociedade conseguirá sempre dinheiro", adiantou o jogador, sempre em nome do grupo de trabalho.

O FC Famalicão, que em 1993/94 ainda se passeava entre os grandes do futebol português, vive uma crise sem precedentes, apesar de conseguir ter várias equipas em competição, em juniores, juvenis, iniciados e escolinhas.

A Agência Lusa tentou durante o dia contactar o presidente da Comissão Administrativa, mas nunca foi possível qualquer contacto com Carneiro da Silva.

Lusa/fim

Fonte foto: www.fcfamalicao.org