No Conselho de Ministros, realizado no dia de hoje, foi aprovado alterações de apoio às famílias que permitem que os pais que tenham filhos até ao final do 1º ciclo e famílias monoparentais consigam optar pela medida ou teletrabalho. Para usufruírem desta medida aprovada hoje, terão de informar a empresa com três dias de antecedência.

A Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, afirmou que existem três situações para a tomada de decisão que são: famílias monoparentais, famílias que têm a cargo crianças até ao final do 1º ciclo e famílias que tenham a cargo uma pessoa dependente com deficiência igual ou superior a 60% de incapacidade.

Por outro lado, apenas as famílias monoparentais e famílias onde a guarda seja partilhada entre os dois progenitores semanalmente e seja com base em declarações de compromisso, o apoio passará a ser de 100%, sendo pagos pela Segurança Social.

Noutro sentido, os pais que necessitem de faltar ao trabalho para dar assistência inadiável a filho ou dependente a cargo terão um apoio que corresponde a dois terços da sua remuneração base, tendo um limite mínimo de 665 euros e um limite máximo de 1.995 euros.

De salientar que, os pais que se encontrem em teletrabalho não serão, por enquanto, abrangidos pelo apoio.