Os seis distritos abrangidos pela Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) registaram, entre a semana do Natal e o Ano Novo, um crescimento superior a 30% de novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2, e Braga subiu 57%.

O relatório da ARS-N, a que a Lusa teve hoje acesso, reporta a evolução da situação epidemiológica a Norte entre a terceira (de 13 a 19) e a última semana de dezembro (de 27 a 02) e mostra que apenas Vila Real e Viana do Castelo registaram subidas abaixo dos 40%.

Entre a semana do Natal (de 20 a 26) e da Passagem de Ano (de 27 a 02), o distrito de Braga foi o que registou o maior crescimento de novos casos de infeção a Norte: 57%, tendo passado de 2.406 novos casos para 3.784, seguindo-se Aveiro (mais 48%), Bragança (mais 46%) e Porto (41%).

Os 14 concelhos do distrito de Braga também acompanharam a tendência de crescimento, sendo que em Cabeceiras de Basto, Vila Verde, Celorico de Basto, Vizela, Póvoa de Lanhoso e Terras de Bouro o número de novos casos de infeção mais do que duplicou.

Também o distrito de Aveiro [onde a ARS-N abrange sete municípios] contabilizou mais 48% de novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2, tendo passado de 735 novos casos para 1.091.

Neste distrito, apenas os concelhos de Arouca e Espinho contrariaram o crescimento.

Os restantes municípios de Aveiro registaram aumentos superiores a 50%.

Também o distrito de Bragança registou um aumento de 46% de novos casos de infeção entre a semana do Natal e da Passagem de Ano, tendo passado de 387 novos casos para 564.

Aqui, os concelhos de Miranda do Douro, Vinhais e Mogadouro foram os registaram o maior crescimento, com o mesmo a fixar-se nos 533%, 267% e 190%, respetivamente.

O distrito do Porto contabilizou mais 41% de novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2, tendo passado de 4.098 novos casos para 5.773.

Os 18 concelhos do distrito do Porto também acompanharam a tendência de crescimento, sendo que Santo Tirso, Lousada e Trofa foram os que contabilizam o maior aumento, com 99%, 96% e 86%, respetivamente.

No mesmo período, o distrito de Viana do Castelo contabilizou um aumento de 39% de novos casos de infeção, tendo passado de 407 novos casos para 565.

Todos os municípios de Viana do Castelo, à exceção de Ponte de Lima, acompanharam a tendência de crescimento, com o município de Melgaço a triplicar o número de novos casos (300%).

O distrito de Vila Real registou um aumento de 39% de novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2, tendo passado de 583 para 813 novos casos.

Entre os 14 concelhos deste distrito, Boticas, Alijó, Murça, Mondim de Basto e Montalegre mais do que duplicaram o número de novos casos de covid-19.

O relatório da ARS-N indica ainda que Miranda do Douro, no distrito de Bragança, é o concelho com a maior taxa de incidência, com a mesma a fixar-se nos 2.254 novos casos por 100 mil habitantes a cada 14 dias.

Seguem-se, em termos de incidência, os concelhos de Macedo de Cavaleiros, Montalegre, Esposende, Peso da Régua e Barcelos.

Nestes cinco concelhos, a taxa de incidência é superior a 1.000.

A taxa da região Norte fixa-se agora nos 611 novos casos por 100 mil habitantes a cada 14 dias.

Portugal contabiliza pelo menos 7.118 mortos associados à covid-19 em 427.254 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O estado de emergência decretado em 09 de novembro para combater a pandemia foi renovado até 07 de janeiro, com recolher obrigatório entre as 23:00 e as 05:00 nos concelhos do território do continente de contágio mais elevado.