quant
Fique ligado

Covid-19

Covid-19: Isolamento obrigatório só para doentes ou pessoas sob viligância

Publicado

em

O primeiro-ministro anunciou hoje as medidas para cumprir o estado de emergência, incluindo o “isolamento obrigatório” para doentes com Covid-19 ou que estejam sob vigilância ativa, sob o risco de “crime de desobediência”.

Quanto aos restantes cidadãos, que não estejam doentes ou em vigilância, o recolhimento não é obrigatório, devendo cumprir um “dever geral de recolhimento domiciliário”, afirmou António Costa após a reunião do Conselho de Ministros que aprovou as medidas para aplicar o estado de emergência decretado na quarta-feira pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, depois da autorização do parlamento e do parecer favorável do executivo.

Às pessoas que constam de grupos de risco, “com mais de 70 anos ou pessoas com morbilidades” é “imposto um dever especial de proteção”.

E “só devem sair em circunstâncias muito excecionais”, como a compra de bens, ir a um banco, aos CTT tratar “da reforma” ou ao centro de saúde, fazer “pequenos passeios higiénicos” ou “para passear animais de companhia”.

“Deve evitar, a todo o custo, para sua proteção qualquer deslocação para fora da residência”, insistiu, pedindo que prossiga “o esforço que as famílias, vizinhos, nas redes sociais, municípios e juntas de freguesia para apoiar muitos destes idosos de forma a permitir evitar deslocações desnecessárias”.

Aos restantes cidadãos, “ao conjunto da população” que não está nem doente, nem em vigilância nem pertence aos grupos de risco, impende o dever é de “recolhimento domiciliário”, devendo evitar a deslocações fora do domicílio, “além das que são necessárias”.

Há um conjunto de atividades, como sejam sair para trabalhar, acompanhamento de menores em período de recreação, ou passear animais de companhia, exemplificou.

Publicidade
Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Covid-19

Covid-19: Mais 45.569 casos, 30 mortes e quase 200 internamentos em 24 horas

Publicado

em

Por

Portugal regista hoje mais 45.569 casos de covid-19 e mais 30 mortes pela doença, assim como mais duas centenas de internamentos em enfermaria, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) relativo à evolução da pandemia.

De acordo com os dados oficiais, há hoje mais 192 pessoas internadas em enfermaria, elevando o total para 2.219, e mais seis pessoas internadas em unidades de cuidados intensivos, sendo agora o total de 160.

Há mais 10.571 recuperados da doença, mas mais 34.968 casos ativos, o que coloca o total em 489.789 casos ativos atualmente em Portugal.

O boletim refere ainda mais 26.789 contactos em vigilância, num total de 478.883 pessoas nessa situação.

Lisboa e Vale do Tejo registou mais 8.258 novos casos de covid-19 e 16 óbitos, o Norte mais 5.942 casos e 10 óbitos; o Centro 3.440 novos casos e dois óbitos; o Alentejo 1.108 novos casos e um óbito; e o Algarve 613 novos casos e um óbito.

Nas regiões autónomas não se registaram mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, tendo a Madeira registado 152 novos casos e os Açores 56.

A mortalidade por covid-19 aumentou 47% numa semana, fixando-se agora nos 37,6 óbitos por um milhão de habitantes, valor superior ao definido pelo Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC), alertou na sexta-feira o relatório das “linhas vermelhas” da DGS.

Publicidade

De acordo com as “linhas vermelhas”, os 47% assinalam uma “tendência crescente do impacto da pandemia na mortalidade”.

Em relação ao número de pessoas infetadas internadas nas Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), as autoridades de saúde revelaram uma tendência estável.

A análise de risco da pandemia adianta também que o número de infeções por SARS-CoV-2, por 100 mil habitantes acumulado nos últimos 14 dias, foi de 5.053, com tendência crescente a nível nacional e em todas as regiões.

Já o índice de transmissibilidade (Rt) fixa-se nos 1,10 a nível nacional, com as regiões Norte e Algarve a apresentarem o valor mais elevado neste indicado (1,14). 

Também segundo dados oficiais da DGS, mais de 4,2 milhões de pessoas já foram vacinadas com a dose de reforço contra a covid-19.

Continuar a ler...

Covid-19

Covid-19: Mais 58.131 casos, 43 mortes e diminuição nos internamentos

Publicado

em

Por

Portugal regista hoje mais 58.131 casos de covid-19 e 43 óbitos provocados pela doença, havendo ainda uma diminuição do número de internados em enfermaria e unidades de cuidados intensivos, de acordo com os dados oficiais.

Segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), há hoje menos 17 pessoas internadas em enfermaria, num total de 2.027, e menos oito pessoas internadas em unidades de cuidados intensivos (UCI), que são agora 154.

O boletim indica também que há hoje mais 26.160 pessoas recuperadas da doença, mas também mais 31.928 casos ativos, o que eleva o total de casos ativos para 454.821.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também