quant
Fique ligado

Covid-19

Covid-19: Bombeiros estão incluídos na primeira fase de vacinação

Publicado

em

Os bombeiros também vão ser vacinados contra a covid-19 durante a primeira fase de vacinação, de acordo com o presidente Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), que questionou hoje a secretária de Estado da Administração Interna sobre o tema.

No final da reunião, em que a inclusão dos bombeiros nos grupos prioritários no programa de vacinação contra a covid-19 foi um dos temas em cima da mesa, Jaime Marta Soares disse à agência Lusa que a questão ficou esclarecida.

“Penso que no primeiro período possam ser vacinados cerca de 12.500 bombeiros. Essa é uma perspetiva que está devidamente esclarecida, mas que passará também pela quantidade de vacinas que o país possa importar”, referiu.

Depois de apresentada a primeira versão do Plano de Vacinação Covid-19, em que são definidos os grupos prioritários para as primeiras fases, a LBP lamentou que os bombeiros “não sejam citados expressamente” no grupo dos profissionais de serviços críticos.

Na altura, a Liga afirmou que o plano parecia “esquecer quem tem estado ao longo do país na primeira linha da resposta à pandemia com esforço e riscos acrescidos associados”.

A dúvida ficou agora esclarecida e a expectativa que o Governo transmitiu, segundo Jaime Marta Soares, é a de que entre janeiro e março (o período em que deverá decorrer a primeira fase) sejam vacinados 12.500, dos mais de 30 mil bombeiros existentes em Portugal.

Durante a reunião com a secretária de Estado Patrícia Gaspar, o presidente da LBP questionou também o Governo sobre o fornecimento de equipamentos de proteção individual (EPI) e o motivo para terem de deixado de ser enviados às corporações, e também daí saiu uma promessa.  

Publicidade

“Fomos informados de alguns [EPI] vão ser distribuídos, mas continuam a estar muto aquém das necessidades e dos gastos que efetivamente temos nessa matéria”, sublinhou.

Fazendo um balanço geral da reunião, Jaime Marta Soares considerou que o encontro foi positivo e permitiu “abrir algumas janelas de negociações e de concertação bastante importantes”.

Sobre a situação financeira das corporações de bombeiros, para a qual já tinham alertado, o presidente da Liga notou disponibilidade por parte da tutela para resolver os problemas, mas sublinha que o assunto está dependente das Finanças.

Depois desta primeira reunião, segue-se um processo que Jaime Marta Soares admitiu ser longo para definir um conjunto de reformas concretas a apresentar ao executivo, um trabalho que começa a ser desenvolvido em janeiro.

Continuar a ler...

Covid-19

A situação financeira das famílias na Pandemia

Muitas famílias enfrentaram uma deterioração da sua situação financeira, em comparação com o período antes da pandemia. Poderemos esperar tempos difíceis em 2022, agora que se perspetiva o aumento acentuado dos preços dos bens?

Publicado

em

Por

Muitas famílias enfrentaram uma deterioração da sua situação financeira, em comparação com o período antes da pandemia. Poderemos esperar tempos difíceis em 2022, agora que se perspetiva o aumento acentuado dos preços dos bens?

De facto, as perspetivas não são muito animadoras, mas devemos agir com inteligência e retirar alguns ensinamentos da situação de pandemia.

Os sinais recentes da economia indicam que existe grande pressão inflacionista, com impacto sobre o orçamento das famílias, perante o aumento do preço de bens essenciais, como é o caso da energia e dos transportes, entre outros, assim como a subida de juros que poderá acontecer no curto prazo, o que faz antecipar um futuro de grande incerteza para as famílias.

Neste quadro e face ao agravamento das questões sanitárias provocadas pela nova vaga pandémica, as famílias podem correr o risco de entrar em incumprimento de créditos, pelo que se aconselha alguma ponderação no que concerne ao consumo e enorme cautela e avaliação prévia na contratação de novos créditos, que devem ser adequados à capacidade financeira e carteira de cada um.

De acordo com Inquérito à Situação Financeira das Famílias de 2020, realizado entre outubro de 2020 e fevereiro de 2021 pelo INE, 28% das famílias em Portugal considerou que a sua situação financeira piorou com a pandemia, com maior impacto nas que dependiam do rendimento do trabalho no período anterior.

Os trabalhadores com nível de escolaridade inferior ao ensino superior, por conta própria ou do setor do alojamento e restauração foram os que mais sofreram do impacto negativo desta crise.

E a pandemia afetou principalmente a situação financeira dos agregados com elementos em idade ativa e, em especial, as famílias mais jovens.

Publicidade

Nas famílias com crianças, o impacto da pandemia foi também mais negativo.

Para colmatar a situação de quebra de rendimento as famílias referiram ter reduzido a despesa com alimentação, vestuário ou viagens, recorreram a poupanças acumuladas ou venderam bens de valor, para além do recurso a moratórias e do adiamento da compra de casa, carro ou de outro bem duradouro ou recorreram à ajuda de familiares ou amigos.

Com alguma prudência, ajustamento do estilo de vida e um consumo sustentável e adequado será possível às famílias entrarem no ano com um orçamento equilibrado e sem sobressaltos.

E se precisarem de aconselhamento ou de ajuda para reestruturar os créditos, saibam que a DECO poderá ajudar.

Se precisar de informação complementar contacte a DECO (223 391 961 / gas.norte@deco.pt) ou aceda à nossa plataforma on-line em www.gasdeco.net .

Continuar a ler...

Covid-19

Covid-19: Mais 32.758 casos, 44 mortes e novo aumento de internamentos

Portugal registou 32.758 novas infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas

Publicado

em

Por

Portugal registou 32.758 novas infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, mais 44 mortes associadas à covid-19 e um novo aumento dos internamentos, indicam os números divulgados hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O boletim epidemiológico diário da DGS regista um crescimento do número de pessoas internadas, contabilizando hoje 2.348 internamentos, mais 129 do que no domingo, 172 dos quais em unidades de cuidados intensivos, mais 12 nas últimas 24 horas.

Os casos ativos voltaram a aumentar nas últimas 24 horas, totalizando 509.628, mais 19.839 do que no domingo, e recuperaram da doença 12.875 pessoas, o que aumenta o total nacional de recuperados para 1.725.342.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também