A Câmara da Trofa quer ver incluída no Programa Nacional de Investimentos 2030 a extensão da linha de metro até àquela cidade, tendo enviado uma carta aos ministros das Infraestruturas e Ambiente para os sensibilizar, divulgou hoje a autarquia.

Enviada na passada semana, a carta, a que a agência Lusa teve hoje acesso, reincide num alerta aos governantes, 17 anos após ter terminado a ligação de caminho-de-ferro entre a Trofa e a Maia “com a promessa da vinda do Metro”, recorda a autarquia.

Tendo em vista integrar o Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030, como parte integrante do Portugal 2030 e “instrumento de excelência de definição das prioridades de investimentos infraestruturais estratégicos de médio e longo prazo, nos setores da Mobilidade e Transportes, Ambiente e Energia”, foi enviado um dossier aos ministros, dias depois da remodelação governamental.

Dirigido aos ministros das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, e do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, bem como aos deputados da Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas da Assembleia da República, o documento pretende “sensibilizar para as lacunas existentes no concelho ao nível das infraestruturas”.

“Concluídas que estão as fases anteriores do PNI 2030, que incluíram o lançamento da auscultação pública, recolha de contributos, sessões/debate temáticas e sessões/debate regionais”, a autarquia liderada pela coligação PSD/CDS, quer aproveitar a fase de “submissão do PNI 2030 ao Conselho Superior de Obras Públicas, e a esperada concertação política e obtenção de consensos no parlamento”, para fazer a sensibilização.

A Trofa quer “uma parcela” do orçamento previsto para o PNI para a concretização da extensão da linha do metro”, terminando um impasse “que prejudica gravemente cerca de 40 mil trofenses e afeta, direta e indiretamente, os 1,76 milhões de habitantes (censos 2011) da AMP”.

Atualmente, frisou a autarquia, a extensão da Linha Verde do ISMAI até à Trofa é a “única da primeira fase da rede do Metro da AMP que ainda não está concluída”.

Alegando ser “uma das prioridades do atual PNI defender e assegurar a acessibilidade equitativa”, assim “reforçando a rede do sistema de mobilidade no território nacional” para a “redução do número de mortes nas estradas, do tempo médio de viagens e a descarbonização e transição energética das cidades”, a Trofa pretende um “consenso parlamentar” que permita a concretização da linha do Metro até ao concelho.

Fonte Lusa