A Câmara da Trofa anunciou hoje uma redução imediata do preço da fatura mensal da água no concelho entre 35% e 58%, no âmbito de um acordo que prolonga o contrato de concessão com a Indaqua por 15 anos.

Em comunicado enviado à Lusa o município revela que, “a partir de julho de 2021, os munícipes trofenses vão deixar de pagar a água mais cara do país, para passar a beneficiar de uma redução imediata de cerca de 35% na sua fatura mensal, sendo que o primeiro escalão (domésticos) vai ter uma redução de cerca de 58% no valor pago por metro cúbico”.

“Depois de vários meses de negociações, a Câmara da Trofa conseguiu um acordo com a Indaqua que vai possibilitar que todos os trofenses beneficiem de reduções que ascendem aos 20% para não domésticos, aos 29% para instituições e aos 35% para domésticos, de acordo com os escalões de consumo”, refere a autarquia na nota de imprensa.

Esta redução anunciada vai a reunião de câmara ainda no decurso deste mês, confirmou hoje à Lusa fonte da autarquia. “Esta negociação, sem encargos para os munícipes ou para a Câmara da Trofa, prolonga o contrato de concessão em vigor, por 15 anos”, assinalou a autarquia, que recorda ter sido o anterior contrato de concessão “assinado em 1998, ainda antes da criação do concelho da Trofa, pela Câmara de Santo Tirso, condicionando os munícipes do atual território do concelho da Trofa e impedindo qualquer negociação até 2020”. A redução de 35%, continua o documento, vigorará “até ao final do contrato e o pacote negociado impede também a Indaqua de aumentar os preços (excecionando a normal inflação anual)”, ficando a empresa concessionária obrigada “a concretizar investimentos importantes no concelho que não estavam previstos, mas que foram considerados essenciais pelo autarca e que ascendem aos 1,4 milhões de euros, para que a Trofa atinja os 100% de rede de abastecimento de água, em todas as freguesias, até 2026”. Citado no comunicado, o presidente da Câmara, Sérgio Humberto, considerou o acordo “uma vitória sem precedentes, que defende os interesses dos munícipes, como nunca foi conseguido no passado e que acautela o futuro, não trazendo encargos adicionais nem para a autarquia, nem para os próprios munícipes, que nunca vão ser penalizados pelos descontos que estão a usufruir agora”. “Esta negociação vem também responder aos anseios dos trofenses, que há muito reivindicam esta redução, ainda mais nesta altura de pandemia, em que as nossas famílias se veem confrontadas com tantas dificuldades financeiras”, acrescenta.